Centro Educativo Burle Marx – Inhotim – 9 Premio Jovens Arquitetos 2009 – Arquitetura – Obra Concluída

9º Prêmio Jovens Arquitetos 2009

Arquitetura – Obra Concluída

Prêmio Ex-Aequo
CENTRO EDUCATIVO BURLE MARX – INHOTIM
Autores: Arquitetos Alexandre Brasil Garcia e Paula Zasnicoff Cardoso
Equipe: Arquiteto Edmar Ferreira Junior e estudantes Ivie Zappellini e Rosana Pilo

_______________________________________________________________________________

Parecer da Comissão Julgadora

“Distingue-se pela relação que seus espaços estabelecem com o meio e paisagem circundantes, como continuidade de uma ampla área verde, inserindo-se no contexto do circuito de galerias de arte existente.”

_______________________________________________________________________________

Memorial Descritivo

vista parcial da cobertura espelho dagua

“O Instituto Inhotim é um complexo museológico original, constituído por uma seqüência não linear de pavilhões em meio a um parque ambiental. Suas ações incluem, além de arte contemporânea e do meio ambiente, iniciativas nas áreas de pesquisa e de educação. É um lugar de produção de conhecimento, gerado a partir do acervo artístico e botânico.

fachada noroeste - acesso principal

Localizado em Brumadinho, a 60 quilômetros da capital mineira, possui um importante acervo de arte contemporânea e uma extensa coleção botânica. Em Inhotim, o meio ambiente convive em interação com a arte, e são o ponto de partida para o desenvolvimento de ações de caráter socioeducativo nas mais diversas áreas.” (disponível em: www.inhotim.org.br).

fachada nordeste - biblioteca

O Instituto Inhotim, com seu acervo de arte e botânica, busca, com a construção do Centro Educativo Burle Marx, sistematizar e potencializar o caráter formador e a vocação educacional de suas atividades. Além de atender a todas as atividades de educação desenvolvidas em torno do acervo e das exposições, o programa educacional deve funcionar também como um equipamento da comunidade do entorno, oferecendo programas de formação e qualificação profissional em áreas nas quais Inhotim atua.

fachada noroeste - salas de aula

O edifício do Centro Educativo foi implantado como um elemento de organização e acesso aos grupos educativos diferenciados ao museu. Sua localização, no limite da área do museu, junto à alameda de acesso principal e próximo à recepção, potencializa esta relação. O Centro Educativo funciona como local de chegada e partida, e estabelece, através do edifício, o percurso de acesso ao museu. Um edifício ponte sobre o lago.

fachada sudeste - salas de aula

A praça de acesso do Centro Educativo conduz o público à área de acolhimento, onde ocorrerá a organização e direcionamento conforme as atividades dos grupos. Partindo do acolhimento pode-se acessar diretamente a biblioteca, os ateliês e também o auditório. O acesso ao museu será através da cobertura. Nela está a praça elevada, inserida sobre um grande espelho d’água no qual serão exploradas espécies botânicas ainda inexistentes em Inhotim, propiciando uma grande integração entre a arquitetura e o paisagismo.

vista do pátio interno

Neste edifício a experimentação da arquitetura se funde ao exuberante paisagismo local. Tanto no percurso sobre o espelho d’água quanto nos percursos entre os diferentes programas do edifício. A circulação é feita por varandas, espaços de convívio e contemplação.

vista geral da cobertura espelho dagua

A cobertura é constituída por três lajes nervuradas em concreto aparente, moduladas em 80cm, o que proporciona organização e racionalização dos materiais utilizados. A própria organização do programa solucionou a necessidade técnica das juntas de dilatação entre as lajes, tornando independentes as lajes da biblioteca, a dos ateliês e a do acolhimento/auditório. O único volume que se eleva sobre a cota da praça elevada é o urdimento do auditório, também construído em laje nervurada.

vista parcial da biblioteca

O desenho do chão tem maior liberdade. A diferença de nível entre a praça de acesso (726,80) e acolhimento (723,00) propiciou a implantação de um anfiteatro ao ar livre, voltado para o edifício. O pequeno desnível entre o acolhimento (723,00) e o foyer do auditório (724,20) além de potencializar o uso deste espaço como local de eventos, promove certa independência de uso num espaço único. As lajes de piso sob a biblioteca e sob as salas de aula realizam a extensão do território, flutuando sobre o lago, em nível com o acolhimento (723,00). Estas lajes de piso também são nervuradas, seguindo o mesmo módulo da cobertura.

vista parcial da cobertura espelho dagua-2

O Centro Educativo é essencialmente um local de trabalho e conhecimento, onde a relação do público com Inhotim será potencializada.

vista parcial pátio interno

implantação

planta cobertura

planta térreo

corte A

corte B

_______________________________________________________________________________

Projeto também publicado na MDC Revista de Arquitetura e Urbanismo, onde está disponível o Projeto Executivo completo.

_______________________________________________________________________________

Ficha Técnica

Autores: Arquitetos Alexandre Brasil Garcia e Paula Zasnicoff Cardoso
Equipe: Arquiteto Edmar Ferreira Junior e estudantes Ivie Zappellini e Rosana Piló
Contratante: Instituto Inhotim
Local: Brumadinho – Minas Gerais
Data do Projeto: Agosto 2006
Conclusão da obra: Julho 2009
Projeto de cálculo estrutural: T3 Tecnologias Integradas Ltda
Projeto de instalações: Engeth / Projeta
Consultoria acústica: Marco Antônio Vecci (biblioteca e ateliês)
WSDG (auditório)
Projeto de cenotecnia: RPP Criação e Produção
Ar condicionado: Tuma
Construção: Eng. Felipe Salim / Eng. Frederico Grimaldi(auditório)
Fotos: Alexandre Brasil

_______________________________________________________________________________


4 respostas em “Centro Educativo Burle Marx – Inhotim – 9 Premio Jovens Arquitetos 2009 – Arquitetura – Obra Concluída

  1. Adorei o projeto, parabéns a vocês. Estou estudando arquitetura e vamos fazer um livro sobre construções sustentáveis, uma delas é este fantástico Centro Educativo, poderiam me informar quais medidas foram tomadas para torná-lo sustentável? Obrigada,Sue Campos.

  2. Olá José Roberto, corrigindo a informação sobre o paisagismo. O projeto original de paisagismo da cobertura, de nossa autoria, previa três espécies de plantas: inhame-preto, inhame-verde e ninféias. Na implantação, todas as espécies foram substituídas por outras pelo paisagista Eduardo Gonçalves, com exceção do inhame preto que se manteve. O desenho original de canteiros, passeios e espelho dágua se manteve.

  3. Olá José Roberto, o paisagismo na cobertura do edifício é de nossa autoria (alexandre e paula – arquitetos), tanto o desenho como a escolha das espécies. Na implantação algumas espécies foram alteradas pelo paisagista do Instituto Inhotim: Eduardo Gonçalves, mas se manteve o desenho original.

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s