IAB-RS promove capacitação sobre Concursos Públicos de Arquitetura

Nos dias 11 e 12 de maio de 2012, será realizada uma capacitação sobre Concursos Públicos de Arquitetura na Sede do IAB-RS, Rua Gal. Canabarro, nº 363, no Centro Histórico de Porto Alegre. Além dos 3 módulos de debates sobre Gestão de concursos e uma oficina que coloca em prática os temas desenvolvidos, a programação conta com uma palestra do arquiteto Fabiano Sobreira, editor responsável pelo portal e revista concursosdeprojeto.org. Continuar lendo

Simpósio – International Competitions and Architectural Quality in the Planetary Age

Atualização – 15.03.2012

Veja aqui (em francês) o caderno especial sobre arquitetura do jornal Le Devoir, de Montreal (Canadá), publicado em 14.03.2012, sobre o seminário “International Competitions and Architectural Quality in the Planetary Age“. O caderno inclui uma matéria sobre a experiência editorial do portal e revista eletrônica concursosdeprojeto.org e sobre os concursos em meio eletrônico, como instrumentos de promoção da ética e da qualidade da arquitetura pública no Brasil.

_________________________________________________________________________

Em 06.02.2012

O Laboratoire d’étude de l’architecture potentielle de l’Université de Montréal ( (L.E.A.P, http://www.leap.umontreal.ca ) e a Research Chair on Competitions and Contemporary Practices in Architecture (C.R.C, http://www.crc.umontreal.ca) promovem o Simpósio Internacional: International Competitions and Architectural Quality in the Planetary Age.

O simpósio reunirá arquitetos, planejadores, geógrafos, pesquisadores e especialistas em concursos, de 15 países.

Data: 16 e 17 de março de 2012.

Local: Université de Montréal, Québec, Canadá.

Veja aqui a programação completa.

BIAU 2012 – VIII Bienal Iberoamericana de Arquitetura e Urbanismo – Cádiz – Espanha

A VIII Bienal Iberoamericana de Arquitetura e Urbanismo será realizada na cidade de Cádiz (Espanha), entre 10 e 14 de setembro de 2012. Como parte da programação da Bienal, estão abertas as inscrições para premiações, que nesta edição selecionará e premiará trabalhos realizados nos últimos três anos (desde 1 de janeiro de 2009 até 31 de dezembro de 2011), em qualquer país da comunidade iberoamericana, apresentados ao Delegado Nacional correspondente, pelos próprios autores ou por qualquer instituição ou empresa interessada, e que não tenham sido apresentados em anteriores edições da BIAU.  Continuar lendo

Chamada de Trabalhos – Simpósio – Concursos Internacionais e Qualidade da Arquitetura

Chamada de Trabalhos – Simpósio Internacional

Concursos Internacionais e Qualidade da Arquitetura na Era da Globalização

Continuar lendo

Eduardo Souto Moura – Concursos – 1979-2010

Eduardo Souto Moura – Concursos – 1979-2010. Este é o título da exposição sobre parte da obra do arquiteto português, inaugurada em Portugal,  na Faculdade de Arquitetura da Universidade do Porto, em junho de 2011, dedicada especificamente a projetos concebidos para concursos de arquitetura (premiados ou não). São 50 projetos, ao longo de 31 anos, 26 dos quais realizados entre 2007 e 2010.

A exposição, que tem curadoria dos arquitetos Francisco Barata, André Campos e Pedro Guedes Oliveira, revela o método de trabalho de Souto Moura através de uma série de programas, croquis, maquetes, desenhos, fotografias e fotomontagens. E mostra, segundo os curadores, que a arquitetura de Eduardo Souto de Moura é “fundamentalmente uma arquitetura culta, produzida com rigor conceptual, empenho, compromisso, como um cientista que persegue uma solução e como um artista que sabe onde não quer ir“.

Com a exposição foi também lançado um livro/catálogo (142 páginas), que além de croquis e imagens selecionadas de cada projeto, traz textos de Francisco Barata, Kenneth Frampton, Alberto Campo Baeza e Carlos Machado. Destacamos a seguir trecho do texto de Campo Baeza, intitulado Souto, Souto, Souto :

“Roberto Fernández, professor da UNA de Buenos Aires, diz, e com razão, que ‘os concursos de Arquitetura representam a combinação entre a arte de escolher e a técnica de serem escolhidos’. E a verdade é que Eduardo Souto de Moura é viciado em concursos. Por vezes, ganha, por vezes, não ganha e, por vezes, constrói. Mas nunca desiste.

Mais do que sobre a obra construída de Souto de  Moura, hoje debruçamo-nos sobre os seus concursos, sobre o esforço titânico que pressupõe a apresentação a qualquer concurso. Com uma inabalável pujança interior. Trata-se de uma Exposição de todos os concursos realizados pelo arquiteto, ganhos ou não, como se de uma coleção de sonhos realizados e não realizados se tratasse. (…)

Sobre os projetos de Souto de Moura para estes concursos, podia dizer-se que são os seus mais radicais. É o que se exige de quem concorre: ideias fortes, radicais, capazes de gerar a melhor arquitetura.”

___________________________________________________________________

Seminário – Julgamento Arquitetônico – Joris Van Wezemael

Seminário

Julgamento Arquitetônico
sobre a decisão coletiva em concursos de arquitetura e urbanismo
15 de junho de 2011, 18h30
Local: Auditório 3, Bloco 9, UNICEUB – Brasília.

Palestrante convidado:

Prof. Joris Van Wezemael
Universidade de Friburgo – Suiça

Palestra em inglês.

Coordenação e mediação:

Prof. Fabiano Sobreira
Dep. Arquitetura e Urbanismo – UNICEUB
Editor do portal concursosdeprojeto.org

Debatedores convidados:

Prof. Carlos Henrique – Dep. Arquitetura e Urbanismo – UNICEUB
Prof. Beatriz de Abreu e Lima – Dep. Arquitetura e Urbanismo – UNICEUB
Prof. Luciana Saboia – Lab. Urbe – PPG – FAU – UnB
Prof. Pedro Palazzo – FAU – UnB

Promoção:

portal concursosdeprojeto.org

Apoio:

UNICEUB
FAU – UnB
IAB-DF

Resumo

O caráter especulativo e a noção de inovação, experimentação e criatividade, fazem dos concursos de projeto importantes objetos de pesquisa, não apenas para a Arquitetura e Urbanismo, mas inclusive para os estudos sobre Gestão e dinâmicas sociais. Em sua conferência, o Prof. Joris Van Wezemael, da Universidade de Friburgo, a partir de reflexões e análises baseadas em sessões de julgamento de concursos realizados na Suiça, sugere que as sessões de julgamento de concursos são laboratórios a partir dos quais é possível entender melhor os processos e dinâmicas de decisão coletiva, inclusive fora do universo disciplinar da Arquitetura. Nessa perspectiva, argumenta-se que os principais critérios considerados no julgamento não são aqueles definidos a priori, mas que emergem durante o processo e como consequência do próprio processo de decisão, à medida em que os membros do júri tomam conhecimento e avaliam os diversos projetos. Neste seminário, propõe-se a partir das reflexões levantadas, debater o julgamento arquitetônico e o processo de decisão coletiva, partindo dos concursos e indo além, tanto na prática profissional quanto acadêmica.

Joris Van Wezemael é professor da Universidade de Friburgo, na Suiça, onde coordena pesquisas relacionadas à Geografia Humana, Complexidade Socioespacial, Gestão e Concursos de Arquitetura e Urbanismo.

_____________________________________________________________________________

XVI CICLO DE ESTUDOS SOBRE O IMAGINÁRIO – Congresso Internacional e Fóruns Temáticos

XVI CICLO DE ESTUDOS SOBRE O IMAGINÁRIO

Congresso Internacional e Fóruns Temáticos

18 a 21 de Outubro 2011

Recife – Brasil

IMAGINÁRIO E DINÂMICAS DO SEGREDO

O XV Ciclo de Estudos sobre o Imaginário, realizado em 2008, tratou do “imaginário do envolvimento/desenvolvimento”: conferências e debates mostraram, nas diversas dimensões da organização social, em diversas culturas, a presença e a importância do segredo. O XVI Ciclo pretende então se debruçar sobre o tema. Tema objeto de interesse de vários autores e estudiosos como Simmel e Bachelard entre outros. Em seu livro O imaginário do segredo (1998), Pierre Brunel diz que « o próprio do segredo é que ele dá a imaginar.” Já Michel Maffesoli, considera que “apocalipse significa ‘cobrir, envolver, esconder’ e também ‘descobrir, desvelar’. É pois preciso entendê-lo como aquilo que revela o escondido, o que torna aparente o segredo”, sendo que “a época espera seu próprio apocalipse, isto é, ser revelada a si-mesma”: trata-se então de revelar a si mesma a pós-modernidade. Muniz Sodré aborda, em relação ao poder político, os “segredos muito bem guardados”. A revista franco-portuguesa Sigila, dedicada ao tema, trata de perceber os mecanismos de ocultação de fatos, de “delinear as fronteiras, as relações, os intercâmbios e as interferências entre o segredo, o enigma, o mistério, a dissimulação, a mentira, o íntimo, o silêncio, o mutismo, a confissão…”. Necessário, na medida em que se encontra no âmago de toda identidade, e perverso quando utilizado para enganar e manipular setores do social, o segredo é indissociável das diversas dimensões da vivência. Ele se encontra subjacente à própria organização cultural na medida em que está atrelado às concepções fundamentais de vida e morte. O segredo tem a ver com todas as áreas de conhecimento, tais como: educação, saúde, economia, história, política, indústria, museologia, ciências sociais e “exatas”, arte, arquitetura, religião, literatura, psicologia, direito, família, sexualidade etc., e com a vivência do cotidiano. Tem a ver com todas as culturas. Do segredo íntimo ao segredo de Estado, todas as dinâmicas são possíveis. O objetivo geral deste Ciclo de Estudos sobre o Imaginário é discutir, a partir das dimensões simbólicas, arquetípicas e míticas, as dinâmicas do segredo nos diversos setores sociais e em diversas culturas, procurando delinear as modalidades de seu impacto na contemporaneidade.

FÓRUM TEMÁTICO – A DIMENSÃO SECRETA DO LUGAR

O que, também, faz a especificidade de um lugar, é o diálogo secreto que se instaura entre a sociedade, as formas geométricas que o compõem e a dimensão simbólica que o caracteriza. A proxemia, assim como o localismo afetual, são de ordem cultural assim como as formas que envolvem o vazio no qual nos encontramos. O espaço, assim como o mito, é dinâmico. Cada arquitetura esconde um universo que não é imediatamente visível. Para alguns, advinha-se o seu interior a partir do exterior, para outros, o interior é uma surpresa que descobrimos ao percorre-lo. Como uma jóia em seu cofre, o espírito do lugar se esconde e exige percurso, impregnação, diálogo. O segredo do genius loci é perceptível no desenho de concurso? Na comunicação digital? Ele não está na maturação do projeto? Neste Fórum procuraremos revelar esta dimensão escondida que descobrimos quando somos marcados pelo lugar, pelo genius loci.

CHAMADA DE TRABALHOS

Como parte da programação do XVI CICLO DE ESTUDOS SOBRE O IMAGINÁRIO será realizado o FÓRUM TEMÁTICO / A DIMENSÃO SECRETA DO LUGAR.

Os trabalhos para o fórum temático deverão abordar o tema central do evento (Imaginário e Dinâmicas do Segredo) a partir de pelo menos um dos três enfoques sugeridos:concepçãoconcursos e comunicação.

Coordenação do Fórum Temático: Fabiano Sobreira, Julieta Leite e Tania da Rocha Pitta

Envio de resumos até 15 de agosto de 2011 (15 linhas)

Informações gerais: http://www.cicloimaginario.com/

Para mais informações sobre o fórum e envio de resumo com apresentação do autor:

Fabiano Sobreira (Brasilia) – fabiano.sobreira@gmail.com

Julieta Leite (Recife) – julietaleite@gmail.com

Tania da Rocha Pitta (Paris) – tania.pitta@ceaq-sorbonne.org


Promoção:

Núcleo Interdisciplinar de Pesquisas sobre o Imaginário – Pós-Graduação em Antropologia – UFPE

Realização:

Associação Ylê Setí do Imaginário


Apoio:

Consulado Geral da França para o Nordeste do Brasil

Fundação Joaquim Nabuco

portal concursosdeprojeto.org