IAB-RS promove capacitação sobre Concursos Públicos de Arquitetura

Nos dias 11 e 12 de maio de 2012, será realizada uma capacitação sobre Concursos Públicos de Arquitetura na Sede do IAB-RS, Rua Gal. Canabarro, nº 363, no Centro Histórico de Porto Alegre. Além dos 3 módulos de debates sobre Gestão de concursos e uma oficina que coloca em prática os temas desenvolvidos, a programação conta com uma palestra do arquiteto Fabiano Sobreira, editor responsável pelo portal e revista concursosdeprojeto.org. Continue lendo

Simpósio – International Competitions and Architectural Quality in the Planetary Age

Atualização – 15.03.2012

Veja aqui (em francês) o caderno especial sobre arquitetura do jornal Le Devoir, de Montreal (Canadá), publicado em 14.03.2012, sobre o seminário “International Competitions and Architectural Quality in the Planetary Age“. O caderno inclui uma matéria sobre a experiência editorial do portal e revista eletrônica concursosdeprojeto.org e sobre os concursos em meio eletrônico, como instrumentos de promoção da ética e da qualidade da arquitetura pública no Brasil.

_________________________________________________________________________

Em 06.02.2012

O Laboratoire d’étude de l’architecture potentielle de l’Université de Montréal ( (L.E.A.P, http://www.leap.umontreal.ca ) e a Research Chair on Competitions and Contemporary Practices in Architecture (C.R.C, http://www.crc.umontreal.ca) promovem o Simpósio Internacional: International Competitions and Architectural Quality in the Planetary Age.

O simpósio reunirá arquitetos, planejadores, geógrafos, pesquisadores e especialistas em concursos, de 15 países.

Data: 16 e 17 de março de 2012.

Local: Université de Montréal, Québec, Canadá.

Veja aqui a programação completa.

BIAU 2012 – VIII Bienal Iberoamericana de Arquitetura e Urbanismo – Cádiz – Espanha

A VIII Bienal Iberoamericana de Arquitetura e Urbanismo será realizada na cidade de Cádiz (Espanha), entre 10 e 14 de setembro de 2012. Como parte da programação da Bienal, estão abertas as inscrições para premiações, que nesta edição selecionará e premiará trabalhos realizados nos últimos três anos (desde 1 de janeiro de 2009 até 31 de dezembro de 2011), em qualquer país da comunidade iberoamericana, apresentados ao Delegado Nacional correspondente, pelos próprios autores ou por qualquer instituição ou empresa interessada, e que não tenham sido apresentados em anteriores edições da BIAU.  Continue lendo

Chamada de Trabalhos – Simpósio – Concursos Internacionais e Qualidade da Arquitetura

Chamada de Trabalhos – Simpósio Internacional

Concursos Internacionais e Qualidade da Arquitetura na Era da Globalização

Continue lendo

Eduardo Souto Moura – Concursos – 1979-2010

Eduardo Souto Moura – Concursos – 1979-2010. Este é o título da exposição sobre parte da obra do arquiteto português, inaugurada em Portugal,  na Faculdade de Arquitetura da Universidade do Porto, em junho de 2011, dedicada especificamente a projetos concebidos para concursos de arquitetura (premiados ou não). São 50 projetos, ao longo de 31 anos, 26 dos quais realizados entre 2007 e 2010.

A exposição, que tem curadoria dos arquitetos Francisco Barata, André Campos e Pedro Guedes Oliveira, revela o método de trabalho de Souto Moura através de uma série de programas, croquis, maquetes, desenhos, fotografias e fotomontagens. E mostra, segundo os curadores, que a arquitetura de Eduardo Souto de Moura é “fundamentalmente uma arquitetura culta, produzida com rigor conceptual, empenho, compromisso, como um cientista que persegue uma solução e como um artista que sabe onde não quer ir“.

Com a exposição foi também lançado um livro/catálogo (142 páginas), que além de croquis e imagens selecionadas de cada projeto, traz textos de Francisco Barata, Kenneth Frampton, Alberto Campo Baeza e Carlos Machado. Destacamos a seguir trecho do texto de Campo Baeza, intitulado Souto, Souto, Souto :

“Roberto Fernández, professor da UNA de Buenos Aires, diz, e com razão, que ‘os concursos de Arquitetura representam a combinação entre a arte de escolher e a técnica de serem escolhidos’. E a verdade é que Eduardo Souto de Moura é viciado em concursos. Por vezes, ganha, por vezes, não ganha e, por vezes, constrói. Mas nunca desiste.

Mais do que sobre a obra construída de Souto de  Moura, hoje debruçamo-nos sobre os seus concursos, sobre o esforço titânico que pressupõe a apresentação a qualquer concurso. Com uma inabalável pujança interior. Trata-se de uma Exposição de todos os concursos realizados pelo arquiteto, ganhos ou não, como se de uma coleção de sonhos realizados e não realizados se tratasse. (…)

Sobre os projetos de Souto de Moura para estes concursos, podia dizer-se que são os seus mais radicais. É o que se exige de quem concorre: ideias fortes, radicais, capazes de gerar a melhor arquitetura.”

___________________________________________________________________

Seminário – Julgamento Arquitetônico – Joris Van Wezemael

Seminário

Julgamento Arquitetônico
sobre a decisão coletiva em concursos de arquitetura e urbanismo
15 de junho de 2011, 18h30
Local: Auditório 3, Bloco 9, UNICEUB – Brasília.

Palestrante convidado:

Prof. Joris Van Wezemael
Universidade de Friburgo – Suiça

Palestra em inglês.

Coordenação e mediação:

Prof. Fabiano Sobreira
Dep. Arquitetura e Urbanismo – UNICEUB
Editor do portal concursosdeprojeto.org

Debatedores convidados:

Prof. Carlos Henrique – Dep. Arquitetura e Urbanismo – UNICEUB
Prof. Beatriz de Abreu e Lima – Dep. Arquitetura e Urbanismo – UNICEUB
Prof. Luciana Saboia – Lab. Urbe – PPG – FAU – UnB
Prof. Pedro Palazzo – FAU – UnB

Promoção:

portal concursosdeprojeto.org

Apoio:

UNICEUB
FAU – UnB
IAB-DF

Resumo

O caráter especulativo e a noção de inovação, experimentação e criatividade, fazem dos concursos de projeto importantes objetos de pesquisa, não apenas para a Arquitetura e Urbanismo, mas inclusive para os estudos sobre Gestão e dinâmicas sociais. Em sua conferência, o Prof. Joris Van Wezemael, da Universidade de Friburgo, a partir de reflexões e análises baseadas em sessões de julgamento de concursos realizados na Suiça, sugere que as sessões de julgamento de concursos são laboratórios a partir dos quais é possível entender melhor os processos e dinâmicas de decisão coletiva, inclusive fora do universo disciplinar da Arquitetura. Nessa perspectiva, argumenta-se que os principais critérios considerados no julgamento não são aqueles definidos a priori, mas que emergem durante o processo e como consequência do próprio processo de decisão, à medida em que os membros do júri tomam conhecimento e avaliam os diversos projetos. Neste seminário, propõe-se a partir das reflexões levantadas, debater o julgamento arquitetônico e o processo de decisão coletiva, partindo dos concursos e indo além, tanto na prática profissional quanto acadêmica.

Joris Van Wezemael é professor da Universidade de Friburgo, na Suiça, onde coordena pesquisas relacionadas à Geografia Humana, Complexidade Socioespacial, Gestão e Concursos de Arquitetura e Urbanismo.

_____________________________________________________________________________

XVI CICLO DE ESTUDOS SOBRE O IMAGINÁRIO – Congresso Internacional e Fóruns Temáticos

XVI CICLO DE ESTUDOS SOBRE O IMAGINÁRIO

Congresso Internacional e Fóruns Temáticos

18 a 21 de Outubro 2011

Recife – Brasil

IMAGINÁRIO E DINÂMICAS DO SEGREDO

O XV Ciclo de Estudos sobre o Imaginário, realizado em 2008, tratou do “imaginário do envolvimento/desenvolvimento”: conferências e debates mostraram, nas diversas dimensões da organização social, em diversas culturas, a presença e a importância do segredo. O XVI Ciclo pretende então se debruçar sobre o tema. Tema objeto de interesse de vários autores e estudiosos como Simmel e Bachelard entre outros. Em seu livro O imaginário do segredo (1998), Pierre Brunel diz que « o próprio do segredo é que ele dá a imaginar.” Já Michel Maffesoli, considera que “apocalipse significa ‘cobrir, envolver, esconder’ e também ‘descobrir, desvelar’. É pois preciso entendê-lo como aquilo que revela o escondido, o que torna aparente o segredo”, sendo que “a época espera seu próprio apocalipse, isto é, ser revelada a si-mesma”: trata-se então de revelar a si mesma a pós-modernidade. Muniz Sodré aborda, em relação ao poder político, os “segredos muito bem guardados”. A revista franco-portuguesa Sigila, dedicada ao tema, trata de perceber os mecanismos de ocultação de fatos, de “delinear as fronteiras, as relações, os intercâmbios e as interferências entre o segredo, o enigma, o mistério, a dissimulação, a mentira, o íntimo, o silêncio, o mutismo, a confissão…”. Necessário, na medida em que se encontra no âmago de toda identidade, e perverso quando utilizado para enganar e manipular setores do social, o segredo é indissociável das diversas dimensões da vivência. Ele se encontra subjacente à própria organização cultural na medida em que está atrelado às concepções fundamentais de vida e morte. O segredo tem a ver com todas as áreas de conhecimento, tais como: educação, saúde, economia, história, política, indústria, museologia, ciências sociais e “exatas”, arte, arquitetura, religião, literatura, psicologia, direito, família, sexualidade etc., e com a vivência do cotidiano. Tem a ver com todas as culturas. Do segredo íntimo ao segredo de Estado, todas as dinâmicas são possíveis. O objetivo geral deste Ciclo de Estudos sobre o Imaginário é discutir, a partir das dimensões simbólicas, arquetípicas e míticas, as dinâmicas do segredo nos diversos setores sociais e em diversas culturas, procurando delinear as modalidades de seu impacto na contemporaneidade.

FÓRUM TEMÁTICO – A DIMENSÃO SECRETA DO LUGAR

O que, também, faz a especificidade de um lugar, é o diálogo secreto que se instaura entre a sociedade, as formas geométricas que o compõem e a dimensão simbólica que o caracteriza. A proxemia, assim como o localismo afetual, são de ordem cultural assim como as formas que envolvem o vazio no qual nos encontramos. O espaço, assim como o mito, é dinâmico. Cada arquitetura esconde um universo que não é imediatamente visível. Para alguns, advinha-se o seu interior a partir do exterior, para outros, o interior é uma surpresa que descobrimos ao percorre-lo. Como uma jóia em seu cofre, o espírito do lugar se esconde e exige percurso, impregnação, diálogo. O segredo do genius loci é perceptível no desenho de concurso? Na comunicação digital? Ele não está na maturação do projeto? Neste Fórum procuraremos revelar esta dimensão escondida que descobrimos quando somos marcados pelo lugar, pelo genius loci.

CHAMADA DE TRABALHOS

Como parte da programação do XVI CICLO DE ESTUDOS SOBRE O IMAGINÁRIO será realizado o FÓRUM TEMÁTICO / A DIMENSÃO SECRETA DO LUGAR.

Os trabalhos para o fórum temático deverão abordar o tema central do evento (Imaginário e Dinâmicas do Segredo) a partir de pelo menos um dos três enfoques sugeridos:concepçãoconcursos e comunicação.

Coordenação do Fórum Temático: Fabiano Sobreira, Julieta Leite e Tania da Rocha Pitta

Envio de resumos até 15 de agosto de 2011 (15 linhas)

Informações gerais: http://www.cicloimaginario.com/

Para mais informações sobre o fórum e envio de resumo com apresentação do autor:

Fabiano Sobreira (Brasilia) – fabiano.sobreira@gmail.com

Julieta Leite (Recife) – julietaleite@gmail.com

Tania da Rocha Pitta (Paris) – tania.pitta@ceaq-sorbonne.org


Promoção:

Núcleo Interdisciplinar de Pesquisas sobre o Imaginário – Pós-Graduação em Antropologia – UFPE

Realização:

Associação Ylê Setí do Imaginário


Apoio:

Consulado Geral da França para o Nordeste do Brasil

Fundação Joaquim Nabuco

portal concursosdeprojeto.org

Concursos: conflitos de interpretação analógica no julgamento da arquitetura

_______________________________________________________________________________________

Conferência:

Concursos:
conflitos de interpretação analógica no julgamento da arquitetura

Jean-Pierre Chupin
Professor Titular da École d’architecture – Université de Montréal
Diretor do LEAP – Laboratoire d’étude de l’architecture potentielle

23 de julho, sexta-feira, 14h30

Local:
Sala Prof. Ernesto Walter
Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo – FAU – UnB
Brasília

Realização:

FAU-UnB
Instituto de Arquitetos do Brasil – IAB

Apoio:
concursosdeprojeto.org
docomomo-bsb

conferência em inglês

_______________________________________________________________________________________

Quais modelos relacionados ao projeto podem ser utilizados na teorização do julgamento e sua prática na arquitetura ? O professor Jean-Pierre Chupin apresenta, em sua palestra, algumas reflexões sobre os “conflitos da interpretação analógica”, como parte de pesquisas que procuram contribuir para a formulação de modelos teóricos sobre o julgamento arquitetônico. A partir da análise de concursos de arquitetura, apresenta algumas questões de pesquisa, ferramentas e métodos que tem desenvolvido no L.E.A.P – Laboratório de Estudos da Arquitetura Potencial (École d’architecture – Université de Montréal), e ao mesmo tempo defende que o pensamento e a reflexão sobre o projeto contribuem para a construção de um modelo de julgamento arquitetônico em suas três fases: da concepção, do júri e da recepção pelos meios de comunicação. Em outras palavras, defende a hipótese que existe uma analogia fundamental entre julgamento e projeto.

Jean-Pierre Chupin é professor e Diretor Científico do Laboratório de Estudo da Arquitetura Potencial (LEAP) da Université de Montréal. Arquiteto graduado em Nantes (França) e Portsmouth (Reino Unido), mestrado em História e Teoria da Arquitetura na McGill University (Canadá) e Doutorado na Université de Montréal. Ensinou na Université du Québec, em Montreal e nas escolas de Arquitetura de Toulouse e de Lyon, antes de integrar o quadro de professores da Université de Montréal. Publicou diversos textos sobre tectônica na arquitetura (em colaboração com Kenneth Frampton), práticas reflexivas, epistemologia do projeto e sobre o desenvolvimento de programas de Doutorado em Arquitetura. O primeiro volume de sua pesquisa sobre Analogia e Teoria na Arquitetura foi publicado em 2010 pela editora suiça Infolio, na série “Projeto e Teoria” (Edição em francês: Analogie et théorie en architecture – de la vie, de la ville et de la conception, même).

_______________________________________________________________________________________

19º Congresso Brasileiro de Arquitetos – Arquitetura em Transição

_______________________________________________________________________________________

19º Congresso Brasileiro de Arquitetos – Arquitetura em Transição

Quando: 01 a 04 de junho de 2010

Onde: Recife / Olinda

Inscrições: visite aqui a página oficial do evento para informações sobre as inscrições

Apresentação:

O IAB – Instituto de Arquitetos do Brasil e o IAB-PE – Instituto de Arquitetos do Brasil, Departamento de Pernambuco, têm a satisfação de apresentar o 19º Congresso Brasileiro de Arquitetos – ARQUITETURA EM TRANSIÇÃO – 19º CBA, que será aberto no dia 31 de maio e realizado entre os dias 01 e 04 de junho de 2010, no Centro de Convenções de Pernambuco, no Recife – PE.

Além da programação técnico-científica do 19º CBA, destacam-se a Feira “Território do Futuro – Inovação e Criatividade”; O “Escritórios de Portas Abertas”, uma série de eventos promovidos pelos arquitetos e empresas de arquitetura, construtoras, agentes públicos e privados sediados no Recife, interagindo com o público do congresso; A “Virtus” – Exposição Virtual dos Trabalhos Científicos do Congresso e também Exposições Paralelas instaladas nos Centros Culturais e Museus da Cidade, ações que irão agregar ainda mais força para o evento.

O 19º CBA reunirá tudo sobre a arquitetura em um só lugar, sob o tema Arquitetura em Transição, um debate que envolve tanto a arquitetura quanto os arquitetos, a cadeia produtiva da construção, e a sociedade em geral. Cerca de 3.000 mil pessoas estarão presentes num evento que reunirá não apenas arquitetos, mas todo aquele interessado em “construir” coletivamente novos paradigmas para uma ocupação inteligente do território, dos ambientes urbanos e da moradia dos Brasileiros.

Estes desafios não cabem mais numa visão unidisciplinar. Comunicação, tecnologia e criatividade são ferramentas que os arquitetos oferecem para esta construção coletiva, visando um meio ambiente melhor mais viável, e mais saudável.

_______________________________________________________________________________________

Para mais informações visite aqui a página oficial do evento.

Colóquio Internacional – crítica do julgamento nos concursos de arquitetura, urbanismo e paisagismo

______________________________________________________________________________________

78º Congresso da Associação Francófona do Saber (ACFAS)

Colóquio Internacional – A crítica do julgamento nos concursos de arquitetura, urbanismo e paisagismo

CHAMADA DE TRABALHOS PARA DOUTORANDOS E JOVENS PESQUISADORES EM ARQUITETURA, URBANISMO E PAISAGISMO

Para trabalhos escritos e apresentados em francês. Envio de trabalhos até 8 de fevereiro de 2010.

______________________________________________________________________________________

No contexto do 78º Congresso da Associação Francófona do Saber (ACFAS), o Laboratório de Estudo da Arquitetura Potencial (L.E.A.P) da Faculté de l’aménagement de l’Université de Montréal organiza um colóquio internacional sobre o tema:

“A crítica do julgamento nos concursos de arquitetura, urbanismo e paisagismo”

O colóquio será realizado nos dias 12 e 13 de maio de 2010 na Université de Montréal e fará parte de um grande encontro científico da ACFAS que agrupa diversas disciplinas.

______________________________________________________________________________________

Além das apresentações dos trabalhos de pesquisadores e doutorandos o colóquio contará com os seguintes conferencistas:

- Joris van Wezemael, Professor de Geografia Humana – Universidade de Friburgo – Alemanha – responsável pela primeira equipe de pesquisa suiça sobre a gestão e organização de concursos de arquitetura e urbanismo

- Fabiano Sobreira, arquiteto e urbanista, pesquisador com enfoque em Concursos de Arquitetura e Urbanismo, analista legislativo da Câmara dos Deputados (Brasil), professor  (Centro Universitário de Brasília).

- Jean-François Bordron, professor (Limoges, França), pesquisador sobre Semiótica da Estética

- Gilles Prud’homme, arquiteto, professor convidado da Université de Montréal, Presidente do Comitê de Concurso da Ordem de Arquitetos do Québec.

____________________________________________________________________________________________

O colóquio tem o objetivo de contribuir para o reconhecimento do “problema do júri e do julgamento”, tema pouco abordado em pesquisas científicas. Tendo como fundamento os trabalhos de teóricos e historiadores, filósofos da linguagem e semioticistas do texto e dos elementos visuais, trata-se de identificar os parâmetros de uma crise contemporânea do julgamento nos concursos de arquitetura, urbanismo e paisagismo. Trata-se de um panorama e uma cartografia epistemológica que permita melhor definir as operações de avaliação, seleção, escolha, comparação e decisão, distinguindo: o papel dos atores, os procedimentos e a crítica. As seguintes questões serão abordadas:

- Questões de representatividade do júri: do especialista ao eleito, passando pelo gestor público – como se constitui a representação do interesse público? Como o julgamento arquitetônico se insere na heterogeneidade da composição do júri?

- Questões de procedimentos de julgamento e de sua legitimidade: o que é um critério de julgamento nos domínios da arquitetura, paisagismo e urbanismo? Quais são as modalidades de conflitos de interpretação entre os níveis da concepção (arquiteto, urbanista, ‘designer’), do júri (heterogêneo) e dos receptores  (cliente, usuários, mídia).

- Questões de cultura crítica: que cultura crítica se encontra em um júri e quais tensões existem entre a pesquisa da qualidade e aquela do desempenho? Quais julgamentos estimulam ou inibem a participação do público no debate sobre o espaço público?

O colóquio visa contribuições científicas nos campos da teoria e da prática da argumentação e do julgamento arquitetônico, com contribuições diretas às pesquisas sobre concursos e à história da arquitetura contemporânea, assim como suporte à decisão dos gestores públicos e à formação permanente de um quadro de organizadores de concursos nos diversos domínios da concepção e da criação.

______________________________________________________________________________________________

Responsáveis pelo colóquio:

Jean-Pierre Chupin, professor titular – Université de Montréal, diretor do L.E.A.P e responsável pelo Catálogo de Concursos Canadenses.

jean-pierre.chupin@umontreal.ca

Jacques White, professor – Université Laval, responsável pela formação de conselheiros profissionais (profissionais que organizam concursos para a Ordem de Arquitetos do Québec)

jacques.white@arc.ulaval.ca

______________________________________________________________________________________________

Clique aqui para mais informações sobre o evento.

Exposição – Arquitetura do Uruguai – MCB – SP

Exposição Arquitetura do Uruguai no Museu da Casa Brasileira

São Paulo, de 27 de novembro de 2009 a 17 de janeiro de 2010

A mostra Arquitetura do Uruguai, em cartaz no Museu da Casa Brasileira (MCB), instituição vinculada à Secretaria de Estado da Cultura, apresenta 50 obras de arquitetura produzidas no Uruguai e no exterior por arquitetos formados pela Faculdade de Arquitetura de Montevidéu. São construções contemporâneas, além daquelas produzidas no país durante os anos 50, 60 e 70. Com curadoria de Ruben Otero, Luis Zino e Ignácio Errandonea, apresenta as obras em painéis em preto e branco de 45×90 cm e em maquetes volumétricas de 45x45x30cm. Haverá, ainda, filmes com depoimentos de arquitetos uruguaios e brasileiros, e imagens urbanas.

Atividade paralela à 8ª Bienal Internacional de Arquitetura de São Paulo, que acontece de 31 de outubro a 6 de dezembro, a mostra é uma realização do MCB em parceria com a Escola da Cidade e o Consulado da República Oriental do Uruguai. A estratégia do MCB é trazer a boa produção de design e arquitetura de países latino-americanos, aproximando a discussão dos conteúdos de realidades culturais próximas para ampliar, assim, o debate que em geral se volta para a produção européia e norte-americana, diz Giancarlo Latorraca, diretor Técnico do MCB

Maiores informações

www.mcb.sp.gov.br

_________________________________________________________________________________

Projetar 2009 – Lançada a programação.

projetar2009

Será realizado, entre os dias 13 e 16 de outubro, na Universidade Presbiteriana Mackenzie em São Paulo, o PROJETAR 2009, que terá como tema: “PROJETO COMO INVESTIGAÇÃO: ENSINO, PESQUISA E PRÁTICA”.

_________________________________________________________________________________________

O “PROJETAR” nasceu em 2003 como um encontro de profissionais e professores arquitetos & urbanistas com o tema “Projetar: desafios e conquistas da pesquisa e do ensino de projeto”. Três encontros nacionais do PROJETAR já foram realizados: em 2003 (PROARQ/UFRN, Natal), em 2005 (PROARQ/UFRJ, Rio de Janeiro com tema “Rebatimentos, práticas e interfaces”) e em 2007 (PROPAR/UFRGS, Porto Alegre com o tema “O Moderno já passado | O passado no Moderno: Reciclagem, Requalificação, Rearquitetura”).

O IV PROJETAR 2009 pretende seguir colaborando na renovação de caminhos e na consolidação do ensino e pesquisa em arquitetura & urbanismo, tendo com foco o Projeto, ativando a mútua repercussão entre ensino e pesquisa e integrando efetivamente ensino, pesquisa e prática.

_________________________________________________________________________________________

A programação já foi anunciada   e inclui a apresentação de dezenas de artigos de pesquisadores do Brasil e de diversos países, em torno do tema PROJETO COMO INVESTIGAÇÃO: ENSINO, PESQUISA E PRÁTICA”, além de conferências de convidados nacionais e internacionais. Confira na página do PROJETAR2009 a programação atualizada.

A editoria do portal concursosdeprojeto.org destaca, dentro da extensa e rica programação do evento, a Mesa Redonda – Concursos, que ocorrerá no dia 14 de outubro  e que contará com a seguinte programação:

Coordenação – Profa. Maisa Veloso

Concursos de projeto e conflitos de interesse na gestão do espaço público.
Fabiano Sobreira

Concursos de arquitetura e sustentabilidade: entre a retórica e a prática. O enfoque ambiental nos concursos realizados no Brasil e no Canadá entre 2000 e 2007.
Fabiano Sobreira

O julgamento de projetos em contexto profissional: uma análise de quatro concursos de Arquitetura no Brasil.
Maisa Veloso

O projeto como investigação | A investigação (e documentação) do projeto – Arquiteturas de concursos no Rio Grande do Sul: Monitoramento e Acervo (1984-2006).
Sergio M. Marques

Concursos de Arquitetura: método e inovação nos concursos Europan.
Julia Spinelli, Leandro Medrano.

Representações de Arquitetura em concursos.
Pablo Gleydson de Sousa, Daniel Fernandes Macedo.

_________________________________________________________________________________________

Além dos trabalhos apresentados na Mesa Redonda, outros artigos incluídos na programação tratam (direta ou indiretamente) do tema Concursos, dentre os quais:

Análise do projeto vencedor do Concurso HabitaSampa, na gestão 2001-2004. Conjunto Assembléia –Arquitetos: Marcelo H. Morettin e Vinicius Andrade.
Paulo Duarte Simões, Eunice Helena Sguizzardi Abascal

Reatualizando Gottfried Semper: entre exposições universais, concursos e teoria do projeto.
Izabel Amaral

_________________________________________________________________________________________

A editoria do portal concursosdeprojeto.org planeja publicar os artigos do evento que sejam relacionados ao tema Concursos na seção Ensaios e Debates, série especial PROJETAR2009.