3º Lugar – Hotel Aliah – São Paulo

Memorial Descritivo (texto dos autores)

Lugar

Um grande parque linear reconecta e restaura uma grande lacuna entre duas áreas verdes, um refúgio entre as árvores que ali já estiveram um dia, abrigará um grande complexo hoteleiro e uma referencia de arquitetura sustentável no Brasil.

O projeto para o novo Hotel Sustentável para uma Copa Verde se organiza a partir da ocupação e distribuição do programa por todo topo do terreno, ligado por um grande eixo verde, na orientação leste-oeste, que conecta duas Áreas de Proteção Ambiental que circundam o lote escolhido. Diferentes cotas separam diferentes partes do programa, dessa maneira é possível ter uma leitura clara de todo o complexo a ser projetado. Na cota mais alta, 57,50, localizam-se os bangalôs super luxo, mais abaixo, à partir da cota 51, encontram-se os quartos standard e luxo (54 e 57). A recepção, centro de convenções, auditório e restaurante assentam-se na cota 47, ao redor da grande praça de chegada, abaixo uma cota de serviço e infraestrutura no nível 44 e por fim, em um dos pontos mais baixos e planos do terreno, cota 41, encontra-se o complexo esportivo.

Os hóspedes e visitantes percorrem e vivenciam toda topografia a partir de diferentes atividades e diferentes visuais, o terreno é compreendido e respeitado com uma implantação criteriosa em diferentes platôs, onde o mínimo de terra é movimentado.

Cada núcleo de atividades é servido por pátios que abrigam e protegem o visitante, pátios e ou praças, que reforçam o grande corredor verde e descansam o olhar do infinito.

Percurso

A entrada do complexo se dá pela ponta oeste do terreno a partir da cota 42, os visitantes e hóspedes, ainda em veiculo motorizado, atravessam um caminho de acesso até a cota 47, na qual se encontra uma grande praça, local onde acontece embarque e desembarque. Os carros são recolhidos pelo serviço de vallet, retornando para uma conta inferior no estacionamento central, cota 41, local esse de desembarque de funcionários. Toda parte administrativa e funcionamento do complexo localiza-se na cota 44 do edifício do Centro de Convenções, secretaria, vendas, marketing, contabilidade entre outras áreas estão isoladas, mas não deixando de estar conectadas com o Complexo em si. Embaixo da praça, sob o espelho d’água é ainda possível encontrar o auditório e toda uma área técnica imprescindível para o funcionamento do Hotel.

Esta grande praça de recepção foi pensada como um local institucional e distribuição de atividades, uma praça livre de visuais que permite vislumbrar todo complexo e beleza natural existente.

Lobby do Hotel, restaurante e centro de convenções delimitam o local descrito. Espelhos d’água ajudam a captar água da chuva e transportá-la até grandes cisternas localizadas no subsolo técnico, alem de amenizar o clima quente de Bragança Paulista em épocas de alta estação.

Fora do eixo do terreno, no nível mais baixo, ao norte se encontra o complexo esportivo, com piscina semi-olímpica, piscina com raia aquecida e de hidroginástica e também quadra de tênis, quadra poliesportiva e campo de futebol na orientação correta norte-sul.

No edifício do Centro de Convenções encontra-se o salão nobre, escritórios para alugar e um espaço multiuso para 150 pessoas. Ainda, no andar inferior, um auditório e o seu foyer para 400 pessoas, onde é possível a realização de treinamentos, convenções, cerimônias, lançamentos, palestras, projeções e etc.

O restaurante, ao norte da praça, possui espaço para 100 pessoas, tendo uma cozinha central no subsolo (cota 44 de serviços) que visa padrão internacional atendendo todo o complexo projetado.

No lobby do hotel, temos check-in e check-out, área de vendas e uma área de espera e leitura, além de um espaço destinado à exposição permanente de sustentabilidade. Nele acontece a triagem e acesso ao hotel localizado na cota 51. Acessado pelo hospede a partir de uma escada,  de plataforma elétrica e ou carro elétrico.

Chegando ao Hotel, cota 51, encontra-se uma segunda recepção que distribui todos os hóspedes tanto para os quartos (sendo oitenta e seis padrão, dois adaptados e doze luxo, nas cotas 54 e 57) quanto para o bar e café da manhã localizados no mesmo andar. Uma piscina recreativa, sauna, jacuzzi, área de descanso e relaxamento estão localizadas próximo ao pátio central com vista para norte do terreno. O pátio do hotel fechado, bucólico e com vegetação local integra e concentra todas as atividades do hotel. Toda parte de serviços e infra-estrutura, como cisternas, governança, lavanderia entre outros se encontra ao sul do edifício.

O percurso continua até o ultimo platô do terreno, o mais alto onde se pode avistar todo complexo hoteleiro, isolados os bangalôs luxo, sendo quatro blocos contendo oito unidades no total, acomodam até sessenta e quatro pessoas. O seu acesso é possível através de carro elétrico ou então cruzando o pátio do Hotel, através de suas passarelas. Nesse local isolado e com contato intenso com a natureza é possível se isolar de tudo e aproveitar a vista de todo o corredor verde leste oeste.

Sistema Construtivo

Todo o sistema construtivo foi pensado para uma obra seca e limpa reduzindo a emissão de resíduos e com menor impacto no terreno.

As vigas e os pilares metálicos são os principais componentes estruturais, tendo como estratégia a modulação comercial de 12 metros que reduz perdas e sobras no canteiro. Paredes e divisórias serão executadas em gesso acartonado (drywall), elementos contribuem com uma obra rápida e eficiente.

Os caixilhos e venezianas dos edifícios foram pensados em madeira certificada.

Os bangalôs são projetados todos em estrutura de madeira pré-fabricada resgatando a tradição das casas de campo.

Recomenda-se ainda durante a execução da obra a proibição do fumo, a reciclagem de resíduos e o treinamento da mão de obra

Estratégias Sustentáveis

A equipe de projeto teve como objetivo principal alcançar a certificação Gold, para isso foram estabelecidas uma série de estratégias visando atender os requisitos do LEED.

Terreno Sustentável

A implantação do edifico visou o adensamento da massa construída, criando espaços permeados por vegetação nativa e espelhos d’água. Os edifícios concentram-se na parte mais alta do lote, permitindo que a maior parte do terreno ficasse intocável, preservando suas características naturais. O terreno está situado entre duas reservas naturais de mata atlântica, desta forma tiramos como partido propiciar uma união entre elas, criando um cinturão verde no topo do lote e entre as edificações.

Outra preocupação foi com a retenção e o escoamento das águas pluviais, na qual o projeto prevê a criação de coberturas verdes nos edifícios.

Os passeios serão todos executados com pisos drenantes e a iluminação externa é toda difusa e de baixa luminosidade.

Uso Racional de Água

O projeto pretende receber todos os pontos desse requisito, para isso a equipe adotou diversas estratégias para reduzir o consumo de água potável.

Na cobertura dos edifícios foram projetadas coberturas verdes, que servem para coletar e armazenar água da chuva em cisternas. Essa água será usada tanto para a irrigação dos jardins como para a manutenção e lavagem dos passeios.

O projeto prevê também o tratamento de 100% o esgoto gerado. As águas de lavatórios e chuveiros serão coletadas, tratadas e devolvidas para o sistema hidráulico, para as bacias, mictórios e lavanderia. Já o esgoto das bacias será despejado em fossas sépticas, e depois de processadas são encaminhadas para as lagoas de aguapés nas partes baixas do terreno.

Outra preocupação foi a especificação de equipamentos sanitários torneiras com redutores de pressão.

Eficiência Energética

O foco principal do projeto foi no desenvolvimento de soluções passivas para a redução do consumo energético dos edifícios.

A implantação visou a criação de jardins internos e espelhos d’agua entre os edifícios, criando um micro-clima mais ameno e refrigerado.

Todos os ambientes tem acesso à iluminação natural e ventilação cruzada.

O projeto prevê a instalação de placas foto voltaico na cobertura para a obtenção de energia solar.

O sistema de aquecimento de água será feito por placas coletoras solares.

O projeto prevê o comissionamento energético por meio de uma minicentral de distribuição e controle.

Materiais e Recursos

Um plano de gerenciamento de resíduos será implantado durante a execução das obras para o monitoramento, controle e reciclagem dos mesmos.

Clique na galeria a seguir para a visualização ampliada das imagens.

______________________________________________________________

Ficha Técnica

Arquitetos : EstudioMB ( Marcos Mendes e Julio Beraldo )

Site : www.estudiomb.com.br

Consultor LEED : Marcus Thomé Sageshima

Ano Projeto : 2012

Localização : Bragança, São Paulo

_________________________________________________________________________

Agradecemos aos autores pela disponibilização do projeto para publicação no portal.

Para mais informações, acesse aqui a página oficial do concurso.

2º Lugar – Hotel Aliah – São Paulo

Memorial Descritivo (texto dos autores)

A oportunidade

A oportunidade de projetar um complexo hoteleiro com as pretensões de seus idealizadores de ser um marco de sustentabilidade e de qualidade de serviços de negócios, hospedagem e lazer, na região metropolitana de Campinas, nos oferece a chance de refletirmos sobre as questões tangentes da contemporaneidade brasileira, de como conciliar infraestrutura para grandes eventos e sustentabilidade.

É sabido que o País será palco dos dois maiores eventos do planeta, Copa do Mundo de Futebol e Olimpíadas, e está em processo de construção de grandes equipamentos de infraestrutura e que parte crucial desta, são os hotéis e espaços para eventos de negócio. Bragança Paulista é uma das cidades postulantes a receber uma seleção internacional em 2014. Desta forma, o projeto realizado por esta equipe teve por objetivo, viabilizar o empreendimento técnico construtivamente e o mais sustentavelmente possivel.

O Sitio  

Localizado em Bragança Paulista, região metropolitana de Campinas, próxima a grandes rodovias e aos principais aeroportos do estado, Bragança possui um clima agradável, e é uma das 15 cidades do Estado de São Paulo que possuem o título de Estância Turística.

O sitio possui uma topografia bem irregular e de implantação complicada, mas o projeto procurou respeitar a geografia existente, fazendo poucos ajustes no terreno para acomodar as vias e o programa dos edifícios e tirando proveito dos desníveis naturais para integrar e segregar. Desta forma, temos os acessos do Centro de convenções e o Hotel integrados por uma praça, mas com os seus respectivos usos preservados pelos desníveis.

As vias internas serão em pisos permeáveis para recarregar os aquíferos e preservar a vegetação natural, bem como a praça de interação e os estacionamentos dos carros e ônibus.

O programa e o partido

Primeira fase da construção, o Centro de Convenções foi projetado para que seja a “pedra fundamental” do complexo, sendo a primeira impressão e primeiro objeto visto da via de acesso. Sua implantação é respeitosa e cuidadosa com o terreno, paralelamente as curvas de nível, permitindo assim que haja pouca movimentação de terra. O acesso dar-se-á por uma rampa da oriunda de uma praça, que fará a integração com a recepção do hotel na fase seguinte e que estará conectada ao estacionamento. Sua estrutura será metálica, com pórticos de vãos de 15 metros travados a cada 6 metros e lajes steel deck. Os fechamentos serão em vidros com película reflexiva e transparente, steel frame e placas cimentícias com isolantes térmicos e acústicos e com revestimento em fachada ventilada de pedra da região. A cobertura será verde e sistema de captação e armazenamento das águas pluvias, além de sistema de energia solar com instalação de placas fotovoltaicas e painéis solares para aquecimento das águas.

Segunda fase da construção, o Hotel, nasce do desejo de manter as visuais das cotas médias do terreno sem interferência, desta forma, a cobertura do hotel está na mesma cota das vias internas principais, cota 45. O edifício é dividido em duas lâminas que acompanham as curvas do terreno e criam um pátio interno generoso, com a declividade natural do terreno, no qual há um paisagismo com função de sombreamento e privacidade. O acesso é feito por um prisma retangular pousado perpendicularmente sobre esta cobertura, onde se encontram a recepção, restaurante, show room de sustentabilidade e espaço de eventos, dos quais a vista é privilegiada. A estrutura é composta por pilares e vigas metálicas, sobre os quais se apoiam lajes steel deck, que devido ao vão de 4 metros, não necessitam de escoras para serem montadas, agilizando e racionalizando o processo construtivo. As divisórias dos quartos são em gesso acartonado, com isolantes térmicos e acústicos. As áreas dos dormitórios são envoltas por venezianas de bambu com sistema de abertura “tipo camarão”, que conferem maior privacidade aos quartos, permitem entrada de luz e barram o raios solares, além de proporcionar a opção de ventilação natural cruzada quando combinada com a veneziana da porta de acesso ao dormitório. Os dormitórios foram projetados atendendo as normas e especificações da EMBRATUR para hotéis 5 estrelas e 5 estrelas super luxo. Na cobertura, uma lâmina d’água aumenta a inércia térmica. Esta lâmina é composta por águas provenientes das chuvas, sendo um reservatório de retardo para lançamento das águas pluviais e também das águas cinzas dos dormitórios. Para a limpeza e qualidade da água é empregado o sistema de plantas macrófitas que além de limparem as águas trazem conforto visual a cobertura, aliando assim paisagismo e sustentabilidade. Placas solares para aquecimento de água e painéis fotovoltaicos completam o sistema de cobertura do hotel.

Os Bangalôs, também serão executados nesta etapa. Estes ficam próximos as áreas sociais, porém encontram-se mais reservados. De construção simples, paredes portantes, travadas por vigas metálicas, nas quais se apoiam as lajes, possuem plantas livres, permitindo grande flexibilidade de uso. O pátio interno e desalinhamento vertical entre o espaço social e intimo, permite privacidade e que as visuais não sejam interrompidas onde quer que se esteja.

O Complexo esportivo

Terceira fase da construção, o Complexo Esportivo, faz uma composição com o hotel, contrabalanceando o volume da recepção, ficando a abaixo do nível dos quartos e ao lado oposto da recepção. O edifício e os decks são escalonados e em leque, seguindo o desnível do terreno. No edifício fechado, a piscina aquecida, a academia e o restaurante possuem uma vista para as reservas vegetais e para o campo e quadras.

Clique na galeria a seguir para a visualização ampliada das imagens.

_________________________________________________________________________

Ficha Técnica

Escritório: Oficina Coletiva Arquitetos (www.oficinacoletiva.com.br)

Ano do Projeto: 2012 

Localização: Campinas, SP, Brasil

Equipe: 

Antonio José de Santana Júnior (co-autor)

Bruno Wilson Pereira da Silva (co-autor)

Paulo Henrique Muchon Dias (colaborador)

André Guerra Machado (colaborador)

Renato Martinelli Gonçalves (colaborador)

_________________________________________________________________________

Agradecemos aos autores pela disponibilização do projeto para publicação no portal.

Para mais informações, acesse aqui a página oficial do concurso.

1º Lugar – Hotel Aliah – São Paulo

Memorial Descritivo (texto dos autores)

1. O hotel como espaço de reaproximação entre homem e meio ambiente

Os processos de urbanização e industrialização que levaram à formação de nossa sociedade, se por um lado produziram um admirável universo de comodidades para o homem moderno, por outro lado sacrificaram grande parte de sua relação com a natureza e com o meio ambiente. Conforme avança a intensificação destes processos, os efeitos deste distanciamento são sentidos por meio do aumento da poluição, da escassez inevitável dos recursos naturais, e da perda da qualidade de vida nos grandes centros urbanos.

A crescente conscientização acerca da questão da sustentabilidade ambiental – acrescida também pelos aspectos sociais e econômicos – possibilita oportunidades para importantes iniciativas que promovam a reaproximação entre o homem e o ambiente natural. Sustentabilidade não é apenas uma questão de estratégias e ações pontuais, mas sim de valores intrínsecos: ela exige a adoção de uma nova postura em relação ao mundo.

2. A paisagem como protagonista do projeto

O Projeto Aliah almeja não ser apenas um hotel confortável e inovador, mas sim um espaço transcendental, onde os visitantes são instigados a reavaliar esta postura em prol de um modo de vida melhor, mais saudável e equilibrado. A arquitetura proposta para o Projeto Aliah busca colocar estes conceitos em foco, resgatando valores essenciais e atemporais que permeiam o convívio entre o ser humano e o meio ambiente, e promovendo, assim, oportunidades para a contemplação, o passeio e a meditação.

Com base nesta premissa, o projeto assumiu a criação de uma praça-mirante como gesto estruturador do partido arquitetônico. Este espaço, disposto ao longo do eixo de chegada do visitante, assume um caráter de protagonismo, articulando o acesso ao hotel e ao centro de convenções e conduzindo à descoberta do conjunto arquitetônico integrado com a paisagem.

3. Linguagem arquitetônica traduzindo a sustentabilidade

Optou-se por implantar o conjunto arquitetônico próximo à parte mais elevada do terreno, em um eixo longitudinal ao longo da cumeeira do terreno, acomodando-se à topografia natural e direcionando as visuais rumo às belas vistas panorâmicas do entorno. A leitura sensível desse território reflete na maneira com que o projeto interage com o relevo, estabelecendo uma relação dialética na qual a arquitetura atua como suporte físico para a contemplação ambiental.

A circulação de acesso aos quartos do hotel incorpora um bosque central, acentuando a presença da vegetação, transcendendo assim a mera função de conexão para se transformar em um passeio elevado em meio à copa das árvores.

A linguagem arquitetônica do projeto busca evidenciar as diversas estratégias de sustentabilidade e conforto ambiental passivo que foram empregadas, demonstrando a problemática envolvida para se atingir alta performance ambiental ao mesmo tempo em que garantindo eficiência energética e economia de recursos.

Clique na galeria a seguir para a visualização ampliada das imagens.

_________________________________________________________________________

Ficha Técnica

Escritórios: Hiperstudio + Arkiz (www.hiperstudio.com.br / www.arkiz.com.br)

Ano: 2012

Equipe:

Alexandre Hepner

João Paulo Payar

Matheus Marques

Rafael Brych

Ricardo Felipe Gonçalves

_________________________________________________________________________

Agradecemos aos autores pela disponibilização do projeto para publicação no portal.

Para mais informações, acesse aqui a página oficial do concurso.

Premiados – Hotel Aliah – São Paulo

Em outubro de 2011 foi lançado um concurso destinado a jovens arquitetos paulistas para a seleção da melhor proposta arquitetônica, paisagística, de sistemas técnicos e de ambientação de interiores para as instalações internas e externas de um hotel (Hotel Aliah) que, segundo os organizadores, deve ser construído e operado sob critérios de sustentabilidade – localizado em zona rural entre os municípios de Itatiba, Atibaia e Bragança Paulista-SP.

Como parte do regulamento, o vencedor do concurso será convidado a participar na elaboração do projeto executivo do hotel, que terá como responsável o arquiteto Siegbert Zanettini, um dos membros da comissão julgadora.

Veja a seguir os projetos premiados (clique nos links para detalhes sobre cada projeto). Continuar lendo

Premiados – Concurso Internacional – Hotel em Jurmala – Letônia – Menção Honrosa

Menção Honrosa

Odelya Bar-Yehuda & Behrman Ilan

HELIO ARCHITECTS
Israel, Michmoret

______________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

Fonte: página oficial do concurso.

Premiados – Concurso Internacional – Hotel em Jurmala – Letônia – Menção Honrosa

Menção Honrosa

Botha Jaco

DENCITY URBAN ARCHITECTS
África do Sul, Wood Stock

_______________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

Fonte: página oficial do concurso

Premiados – Concurso Internacional – Hotel em Jurmala – Letônia – 3º Lugar

3º Lugar

John Reid

Robinson Mc Ilwaine Architects LLP
Irlanda do Norte, Belfast

___________________________________________________________________

_________________________________________________________________

Fonte: página oficial do concurso

Premiados – Concurso Internacional – Hotel em Jurmala – Letônia – 3º Lugar

3º Lugar

Hyun-ah Lee

Nobutaka Ashihara Architect
Estados Unidos, Nova Iorque

____________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

Fonte: página oficial do concurso.

Premiados – Concurso Internacional – Hotel em Jurmala – Letônia – 3º Lugar

3º Lugar

Karpova Zane, Didrihsone Ilze, Tomariņa Arona

SIA FBRK, SIA 1.618
Letônia, Riga

____________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

Fonte: página oficial do concurso

Premiados – Concurso Internacional – Hotel em Jurmala – Letônia – 2º Lugar

2º Lugar

Nicolas Dorval-Bory, Raphael Betillon

BETILLON/DORVAL-BORY
França, Paris

_____________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

Fonte: site Hotel Liesma

Premiados – Concurso Internacional – Hotel em Jurmala – Letônia – 2º Lugar

2º Lugar

Pedro Oliveira

ARQX – Arquitectos
Portugal, Porto

____________________________________________________________________


_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

Fonte: página oficial do concurso

Premiados – Concurso Internacional – Hotel em Jurmala – Letônia – 1º Lugar

1º Lugar

VENTURA TRINDADE ARQUITECTOS
Portugal, Lisboa

_________________________________________________________________________

Trecho do Parecer do Júri:

A proposta é inventiva em seu conceito arquitetônico, bem elaborada, atende ao programa e às regras do concurso e tem uma das apresentações mais completas. Apresenta um nível profissional elevado,a julgar pela bela e certeira solução arquitetônica. A composição arquitetônica, a materialidade natural e a qualidade do detalhamento se destacam, de forma equilibrada. A estratégia de projeto é clara e o conceito é baseado essencialmente nas condições locais, características do terreno e o tema musical. De forma agradável, a solução induz até mesmo os que simplesmente passam pelo local a participarem dos eventos a serem organizados no pátio elevado, destacando a importância da comunidade local para o novo hotel. No entanto, a visibilidade dos músicos e artistas em relação ao público precisa ser mais desenvolvida.

O esquema funcional e a logística da edificação são claros e bem estruturados. A ideia dos espaços de conferência e equipamentos de uso público, localizados de forma delicada nos pavimentos mais elevados, são a melhor parte da edificação, criando um diferencial e elemento de competitividade em relação aos demais hotéis.

Os quartos do hotel são simples, concebidos para apreciadores da música, elegantes e com boas proporções, com grandes janelas e vista generosa. (…)

A estrutura do edifício existente foi levada em consideração, mantendo espaços funcionais, apesar do pé-direito reduzido. Pequenos ajustes serão necessários no que se refere ao mobiliário.

A implantação do projeto no terreno é organizada de maneira funcional e lógica, permitindo a distinção da circulação dos clientes, veículos e serviços. Até mesmo o processo construtivo foi apresentado, destacando-se das demais propostas também nesse sentido.

_________________________________________________________________________

_________________________________________________________________

Fonte: página oficial do concurso

Premiados – Concurso Internacional – Hotel em Jurmala – Letônia

Anunciamos em setembro o Concurso Internacional que teve como objetivo selecionar o melhor projeto para um Hotel em Jurmala, na Letônia. O projeto vencedor é de autoria do escritório Ventura Trindade Arquitectos, de Portugal. Veja a seguir os projetos premiados e menções. Veja aqui a Ata do Júri.

____________________________________________________________________________

1º Lugar

VENTURA TRINDADE ARQUITECTOS
Portugal, Lisbo
a

___________________________________________________________________________

2º Lugar

Pedro Oliveira

ARQX – Arquitectos
Portugal, Porto


____________________________________________________________________________

2º Lugar

Nicolas Dorval-Bory, Raphael Betillon

BETILLON/DORVAL-BORY
França, Paris

___________________________________________________________________________

3º Lugar

Karpova Zane, Didrihsone Ilze, Tomariņa Arona

SIA FBRK, SIA 1.618
Letônia, Riga

____________________________________________________________________________

3º Lugar

John Reid

Robinson Mc Ilwaine Architects LLP
Irlanda do Norte, Belfast

____________________________________________________________________________

3º Lugar

Hyun-ah Lee

Nobutaka Ashihara Architect
Estados Unidos – Nova Iorque

____________________________________________________________________________

Menção Honrosa

Odelya Bar-Yehuda & Behrman Ilan

HELIO ARCHITECTS
Israel, Michmoret

____________________________________________________________________________

Menção Honrosa

Botha Jaco

DENCITY URBAN ARCHITECTS
África do Sul, Wood Stock

____________________________________________________________________________

Para mais informações, acesse aqui a página oficial do concurso.

Concurso Internacional – Hotel em Jurmala – Letônia

Concurso Internacional – Hotel em Jurmala – Letônia

______________________________________________________________________

Objetivo:

Este é um concurso internacional de idéias que pretende selecionar a melhor solução para um hotel 4 estrelas em Jurmala, na Letônia. A cidade resort, localizada na costa do Mar Báltico, é conhecida por sua herança musical, e o hotel deve expressar elementos relacionados com a música em seu conceito de design.

Segundo os organizadores: “A história de Jurmala tem sido associada ao caráter musical do Mar Báltico - o som das ondas quebrando na praia, o assobio de pinheiros antigos com o vento, as gaivotas gritando no céu, a areia movediça sob seus pés… – tudo isso e muito mais cria uma sinfonia inteira na memória de todos que já estiveram aqui. Graças a esta configuração naturalmente musical, Jurmala tornou-se um centro para shows, e um lugar onde compositores, poetas e cantores vêm para encontrar inspiração. Com base neste tema, o conceito do novo hotel também será enraizado no mundo da música.(…) A partir do momento que entrarem no hotel, os hóspedes deverão se sentir imersos no mundo da música e sua história, estilos e personalidades relacionadas à música, e esta viagem através da música e sua linguagem arquitetônica vai continuar por todo o hotel, a partir do átrio e terminando com a cozinha.”

Tipo de concurso:

internacional, aberto

 

Cronograma:

Anúncio oficial da competição: 24.08.11
Inscrições: 26.08.11 – 10.10.11
Dúvidas e perguntas: 26.08.11 – 10.10.11
Prazo para envio dos projetos: 15.10.11
Seleção e anúncio dos vencedores: 16.10.11-19.10.11
Cerimônia de premiação dos projetos selecionados: 19.10.11

Prêmios:

- Primeiro lugar – 10.000 Euros
- Segundo lugar – 5.000 Euros
- Terceiro lugar – 2.500 Euros

_____________________________________________________________________

Para mais informações e atualizações acesse aqui a página oficial do concurso .

Concurso – Complexo Comercial – Mashhad – Irã – Menção Honrosa

Concurso – Complexo Comercial – Mashhad – Irã

Menção Honrosa

RAVAND-E-HAMAHANG (Irã) + BIG (Dinamarca)

_______________________________________________________________________

“A fim de alcançar a densidade desejada e atender às exigências do código de edificações e diretrizes urbanísticas, os dois edifícios propostos no projeto são dobrados, gerando volumes em forma de ‘V’, e criando três espaços urbanos triangulares: um mercado, um pátio e um estacionamento na área central. Para atender às demandas dos hóspedes, o hotel foi concebido de dentro para fora. Como resultado, cada elemento em forma de ‘V’ é composto por uma estrutura tipo espinha de peixe, com os quartos voltados para a área sagrada de Iman Reza.”

“Considerando que o terreno induz à criação de um portal de acesso na parte leste, em direção à área urbana no entorno da área sagrada, o projeto propõe uma edificação que protege as residências e os espaços públicos do barulho proveniente do ‘boulevard’ principal e ao mesmo tempo abrindo esses espaços para a área religiosa.”

“O complexo foi projetado para oferecer a cada peregrino ou turista uma perspectiva diferenciada da área sagrada. Cada unidade é protegida da poluição acústica, das vistas da vizinhança e dos transeuntes, abrindo-se apenas para a área sagrada. A arquitetura resultante é ao mesmo tempo calma e diversificada, ao mesmo tempo integrada e diferenciada, tradicional e contemporânea.”

__________________________________________________________________________________________

Ficha Técnica:

Equipe de Projeto:

Irã: Ali Hamidi Moghadam, Nima Farzaneh, Neda Heidary, Saina Majidi, Mahan Abolghasem Shirazi

Dinamarca: Bjarke Ingels, Doug A Stechschulte, Kai-Uwe Bergmann, Kuba Snopek, Cat Huang, Gaetan Brunet, Takumi Iwasawa

__________________________________________________________________________________________

Fonte: bustler.net