Concurso – Assembleia Legislativa – RS – 3º lugar

Concurso – Assembleia Legislativa – Rio Grande do Sul

3º Prêmio (ex aequo)

Co-autores: Ângelo Cecco Júnior, Edna Nagle, Lizete Maria Rubano, Rodrigo Mindlin Loeb – SP

_______________________________________________________________________________

Memorial Descritivo

A CONSTRUÇÃO DO LUGAR

A proposta de um plano de ocupação e requalificação espacial do complexo Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul, colocada publicamente, desencadeou a idéia da construção do lugar: pela densidade histórica existente, pelo sítio de características singulares, pelo programa, ligado ao tema da cidadania e pela paisagem, natural e construída, do Guaíba e da área central.

A densidade histórica, conformada pelos edifícios que agregam, dado seu valor, significado e suporte ao organismo urbano, constituiu-se referencial às edificações e áreas livres propostas: alinhamentos, gabaritos, volumetrias e espacialidades existentes conduziram as decisões projetuais.

O sítio, estrutura física do lugar, estimulou as possibilidades de percurso e as articulações propostas – na escala urbana, das margens do Guaíba ao Centro de Tecnologia, passando pelo complexo da Assembléia – e da praça Marechal Deodoro ao Jardim do Solar dos Câmara, conectando-se ao espaço aberto, redefinido, e à nova edificação.

O grande palco público – representado pelo fórum e pela plenária -, que ocupa a caixa elevada frente à Rua Riachuelo, inicia o embasamento do primeiro edifício linear, que aloja os itens do programa de franco acesso à população, culminando na “rua elevada” da cota 31.

Articulado, por circulações mecânicas, ao Palácio Farroupilha e ao espaço aberto, potencializa-se o mirante existente e a massa de vegetação, além da conexão com a cota 34, onde biblioteca e cinema complementam o programa de reforço à centralidade e estímulo ao uso público, agora no segundo edifício laminar proposto.

A paisagem – física e social -, dada pelo sítio generoso e densidade histórica, conduziu a decisão por uma arquitetura que se caracterizasse menos pelo destaque do objeto e mais pela possibilidade de referendar situações, dar suporte a novos programas e gerar dinâmicas de uso complementares e articuladas, valorizando a dimensão pública e a construção coletiva do artefato urbano.

_______________________________________________________________________________

Veja abaixo imagens das pranchas submetidas ao concurso:

_______________________________________________________________________________

Ficha Técnica

Nagle & Cecco Arquitetos Associados

Co-autores: Ângelo Cecco Júnior, Edna Nagle, Lizete Maria Rubano, Rodrigo Mindlin Loeb – SP

Colaboradores: Daniela Puliti Pochetto, Juliana Hayakawa, Lucas Neves, Pedro Favalle, Rodrigo Lodetti, Thomas Horton

_______________________________________________________________________________

Agradecemos ao IAB-RS e aos autores pela disponibilização do projeto.

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s