Praça dos Três Poderes – Florianópolis – SC – 4º Lugar

4º   Lugar – Eduardo Pereira Gurian, Eduardo Rocha Ferroni, Pablo Hereñu (São Paulo-SP)

_________________________________________________________________________

Memorial – Quatro Ações de Projeto 

1. Configurar o recinto

O vazio urbano no qual a Praça dos Três Poderes se localiza tem suas qualidades espaciais determinadas pelas características do seu entorno imediato. Atualmente esse perímetro encontra-se bem definido junto às Ruas José da Costa Moellmann e Álvaro Millen da Silveira, e difuso junto à Travessa Syriaco Atherino e à Av. Hercílio Luz.

No intuito de construir essas “fachadas” e definir com clareza o recinto da praça sem comprometer a permeabilidade e a transparência ao nível dos pedestres, foram criados dois setores densamente arborizados. A regularidade no plantio das árvores propostas (Guarapuvus) contrasta com a irregularidade das árvores existentes deixando explícito o seu caráter fundamentalmente arquitetônico.

2. Favorecer múltiplas apropriações

O sucesso de um espaço público pode ser medido através dos modos como as pessoas dele se apropriam. Quanto mais abertas e variadas forem suas possibilidades de utilização,maiores serão as chances de que a vida urbana encontre ali meios de ganhar corpo. Os espaços que compõem esta proposta foram desenhados a partir dessa premissa.

O estacionamento possui uma altura livre de 2.80 m, extensas aberturas de iluminação e ventilação e duas de suas laterais são completamente voltadas para o exterior. Estas qualidades permitem uma eventual utilização desse espaço por outros usos que possam ser desejáveis no futuro.

A porção central da praça, espécie de arena, se constitui num grande plano retangular pavimentado e livre de interferências. Um conjunto de postes de iluminação baliza o eixo diagonal de passagem e planos suavemente inclinados resolvem a drenagem e delimitam áreas inundáveis que,conforme o nível da água, possibilitam inúmeros arranjos espaciais. Esses planos podem ser criados naturalmente, pelas águas das chuvas,ou artificialmente. A partir deles a água é conduzida para os reservatórios de reuso.

3. Articular a cidade e o lugar

O eixo que parte do Mercado Público e Alfândega, cruza a praça Fernando Machado, o Terminal Urbano, passa pelo Forte Santa Bárbara e atinge a Praça dos Três Poderes na esquina das Ruas Antônio Luz e Hercílio Luz, tem sua continuidade promovida por um passeio diagonal que percorre toda a extensão da praça e culmina no Palácio Barriga Verde.

Além de articular praça e cidade, essa espinha dorsal realiza a conexão dos demais percursos de pedestres, tanto os horizontais, de acesso aos edifícios do entorno, quanto os verticais, de ligação com o estacionamento subterrâneo.

Através desse percurso, se descortinam lentamente as visuais do entorno e os edifícios públicos se transformam em um conjunto, conferindo à praça seu caráter cívico e simbólico.

A setorização proposta localiza o estacionamento subterrâneo na porção central da quadra. Sua cobertura se transforma numa grande arena,onde planos de água,com variáveis configurações espaciais, qualificam e delimitam a superfície conforme os usos desejados. Lateralmente, a arborização constitui espaços com características e escalas distintas. Junto à Av. Hercílio Luz, uma área ajardinada de caráter mais contemplativo marca a transição entre a cidade e a praça. No extremo oposto, junto à Travessa Syriaco Atherino, a sombra das árvores se soma a uma leve estrutura pergolada,que organiza os programas solicitados, para criar um espaço mais resguardado e acolhedor.

4. Resgatar a memória

Considerada sem seu conjunto, as áreas inundáveis propostas adquirem uma função simbólica e presta uma homenagem à memória do lugar. Os limites estabelecidos para essas águas possibilitam recriar de maneira figurada a antiga “prainha” e resgatar a presença do mar que há até pouco tempo ocupava esse território.

Clique na galeria a seguir para a visualização ampliada das imagens.

Ficha Técnica

Requalificação da Praça dos Três Poderes – Florianópolis, SC – 2010

Concurso Público Nacional organizado pela Prefeitura Municipal de Florianópolis – IPUF Premiado com o 4º lugar

Equipe: 

Eduardo Pereira Gurian, Eduardo Rocha Ferroni, Pablo Hereñu (autores)

Bruno Nicoliello, Fabricius Muzeti Mastroantonio, Felipe Chodin, Thiago Vasques Moretti (colaboradores) e Mauro Zaidan (orçamento)

_________________________________________________________________________

Agradecemos aos autores pela disponibilização do projeto para publicação.

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s