Praça dos Três Poderes – Florianópolis – SC – 5º Lugar

5º  Lugar – 05   Bruno Henrique Barcia 

_________________________________________________________________________

Memorial

Introdução 

Apresentação da área: O local destacado interliga o novo centro cívico da cidade de Florianópolis, porém de forma insuficiente, nao atendendendo ao seu “novo” uso.  Possui área de 18.000 m²,  relevo pouco acidentado, e cercada em sua maioria de edifícios institucionais.

Análise: Após visita ao local de intervenção observamos que a praça em sua atual configuração possui algumas deficiências que julgamos como fundamentais para a longa vida do espaço, tais como:

  • Em toda sua extensão não oferece pontos de sombra em nenhum horario do dia já que não possui um equipamento ou maciço arbóreo  capaz de se encarregar disso, deixando o usuário sem proteção contra o sol. Aproveitando-se da mesma deficiência acima descrita, não possui nenhum ponto onde seja possível se proteger da chuva e dos ventos;
  • Possui um trajeto que dificulta o deslocamento das pessoas que somado as más condições dos pisos existentes fazem com que o pedrestre tenha que se deslocar mais.
  • Não há pontos de interesse, eventos, comercio ou qualquer coisa que atraia as pessoas e mais do que isso, não há nenhuma atividade que a torne movimentada, requisitada e que garanta a troca de usuários fazendo com que sempre haja movimento, vida.
  • Notamos que a iluminação existente é insuficiente e que não há policiamento.  Creditamos isto à falta de legibilidade que o local proporciona. Possui muitas barreiras  físicas, desníveis, árvores com copa muito densa e baixa dificultando a “leitura” da área que somada a morosidade autal do espaço, contribue diretamente para a marginalidade e para o acúmulo de pessoas ociosas no local.

Proposta: A proposta a seguir virá com o intuito de sanar as deficiências acima enumeradas, fazer com que esta passe a atender às necessidades desse novo entorno imediato e que passe a ser também um espaço agradável e de referência na cidade, visando atrair a atençao e desejo das pessoas.

A Marquise

A grande força motriz do projeto. Envolve praticamente toda a praça, oferecendo e “indicando” o caminho a ser tomado. Oferece relação direta ao já locado ponto de ônibus do outro lado da via, abrigando as pessoas quando necessário.

Servirá como ligação entre as ruas Antônio Luz e Dr. Jorge da Luz Fontes, encurtando o trajeto atual ( ver imagens 02, 03)

Todas as atividades, equipamentos estão vinculados a ela. É embaixo dela que as pessoas andarão, se abrigarão  das chuvas, do sol, onde farão seus exercícios físicos, descansarão, onde farão compras, tomarão lanche.

Mais do que uma cobertura para a rampa que dá acesso ao estacionamento, resolvemos incliná-la e permitir o acesso, criando uma área onde as pessoas possam  observar todo o conjunto, observar o bonito teto jardim que se estende por toda a marquise. Foi projetada para dar suporte a arquibancada, caso esta esteja ocupada em sua totalidade.

A marquise possui na mistura do seu concreto dióxido de titânio, responsável pela destruição de poluentes orgânicos, compostos orgânicos voláteis e até membranas de bactérias.

Arquibancada e Palco

Além de ser um local destinado a sediar pequenos eventos como peças teatrais, shows , quisemos que fosse um lugar onde as pessoas pudessem sair dos seus trabalhos e se sentassem para almoçar, conversar, já que acomoda um grande grupo de pessoas com facilidade. Para que isso acontecesse tomamos o cuidado de que estivessem protegidas do sol e, em consequência do nível em que se encontra, dos ventos.

Possui o fundamental papel de integrar a área de estacionamento subterrâneo com a praça. Ao se encaminhar deste, seja do primeiro ou do segundo subsolo, o usuário terá uma visão parcial do conjunto possibilitando assim uma compreensão melhor do espaço, gerando mais conforto.

Corredor comercial: Interliga as duas grandes  marquises, com a presença dos módulos comerciais (ver imagens 10; 11),  arriscando a dizer que é o que une o projeto no eixo norte/sul, além disso é de grande importância para o funcionamento deste, já que vem para ser um dos atrativos tidos como necessários para o sucesso dessa nova “Praça dos Três Poderes”. Isso se dará através do contínuo movimento e da diversidade cultural que proverá. Não esquecendo de que isso também tornará o lugar mais habitado e movimentado durante grande parte do dia e da noite que, somada ao policiamento, reduzirá consideravelmente a marginalidade hoje apontada como um dos grandes problemas do local.

Detalhamento Módulos: Responsáveis por “abrigar” o comércio. De estrutura leve, feitos para serem movimentados, arrastados e assim conferir ao local sempre uma “cara” diferente e não algo estático que com o passar do tempo canse aos olhos. (ver imagem 12).

Da mesma maneira terá prateleiras que a cada dia podem ser armadas de forma diferente (ver imagem 13), se adaptando ao produto a ser exposto (ver imagens 14; 15) nas prateleiras visto que o comércio praticado aqui é variado, cíclico.

Deck (inverno): Caracteriza-se a primeira vista por um longo “deck” de madeira e um banco sinuoso de concreto. Projetada para ser uma área que acolha as pessoas durante os meses de baixas temperaturas, que ao invés de se protegerem do sol o buscam afim de se aquecerem. Pra isso conta com uma vegetaçao “rala”, ornamental, incapaz de filtrar os raios de sol.

Delimita e acompanha a marquise que abriga o eixo comercial, impedindo o cruzamento direto (imagem 02) por ali acentuando assim o seu carácter de espera e convívio, além de fazer com que o pedestre passe em frente aos módulos comerciais dispostos em baixo da grande marquise.

Área infantil, Lanchonetes e Posto Policial: Devido a existência dos equipamentos infantis, optamos pela implantação das lanchonetes em suas imediações, para que os responsáveis por elas possam, além de cuidar das crianças, desfrutar. Mantendo essa linha de pensamento em frente a elas está locado o posto policial.

Tomamos o cuidado de criar canteiros suficientemente altos que, intercalados aos extensos bancos, servirão como contenção para essas crianças, evitando assim que haja qualquer incidente e ainda “induzindo” as pessoas a não utilizarem dessa “área infantil” como passagem, fazendo com que adentrem na praça pela grande marquise. (ver imagem 19)

Clique na galeria a seguir para a visualização ampliada das imagens.

Ficha Técnica

Autor: Bruno Henrique Barcia (Arquiteto e Urbanista)

Co-autores: Aggeu Monteiro de Carvalho Junior (Arquiteto e Urbanista), Ana Bianca de Almeida Rosa Depetris (Arquiteta e Urbanista) e Rina Marius Gallo (Arquiteta e Urbanista)

_________________________________________________________________________

Agradecemos aos autores pela disponibilização do projeto para publicação.

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s