Sede da Confederação Nacional de Municípios – CNM – Brasília

1

Veja a seguir o projeto da sede da Confederação Nacional de Municípios – CNM, em Brasília. O projeto, resultante de concurso, é de autoria dos arquitetos Luís Eduardo Loiola e Maria Cristina Motta.



Descrição do Projeto

O partido adotado determina a criação de um espaço metropolitano em consonância com o contexto urbanístico da cidade como condição principal para projeto do novo equipamento. O plano de ação para a implantação da nova sede do CNM partiu de alguns pressupostos fundamentais:

– formulação de um modelo de ocupação do solo com ênfase na integração dos usuários com a paisagem construída;

– estruturação/hierarquização do térreo reforçando sua vocação como principal local de convergência

– escolha de um sistema construtivo claro e racional garantindo rapidez e economia na execução;

– adoção de estratégias que permitam o bom desempenho ambiental do edifício.

O eixo de evolução do projeto se materializa em sua extensão máxima na forma de um prisma metálico branco que flutua delicadamente sobre o embasamento de concreto. O posicionamento da lâmina busca transferir para dentro do corpo construído as visuais para a paisagem, incorporando a presença do entorno ao seu uso cotidiano. A disposição dos elementos construídos é uma resposta direta à distribuição do programa no lote:

– a base, abriga todas as funções coletivas, espaços destinados a acolher o público externo (foyer, salão nobre e salas de apoio) assim como espaços de estar (café e restaurante);

– na lâmina metálica encontram-se as áreas de trabalho administrativo;

– na cobertura, salas de reunião e praça elevada;

– por fim, no subsolo, as garagens e áreas técnicas.

O desenho do chão foi o fio condutor da proposta. Criou-se uma praça, levemente rebaixada em relação a cota média do terreno, que se desdobra em dois níveis resultando em uma nova topografia para o lote. No térreo um espelho d’água orienta o percurso do pedestre rumo a recepção configurando o acesso as áreas administrativas. Na cota inferior, inscrita na volumetria da base, encontra-se a praça cívica por onde é possível acessar o complexo do centro de convenções. Uma escadaria conecta os dois planos permitindo a realização de eventos de forma autônoma, sem prejudicar a rotina de trabalho administrativo. O térreo resultante assume uma dupla vocação: é ao mesmo tempo suporte para a implantação do novo conjunto e a interface com o solo da cidade.


Ficha Técnica

Data do projeto: 2010
Arquitetura: Luís Eduardo Loiola e Maria Cristina Motta
Colaboradores: Ana Carolina Sumares, Luís Felipe da Conceição, Marcelo Ribas, Luisa Leme Simoni e Gabriela Lira dal Secco
Estrutura: Kurkdjian e Fruchtengarten Engenheiros Associados
Fundações: Mag Solos Engenheiros Associados
Instalações prediais: MHA Engenharia Ltda
Luminotécnica: Lux projetos
Caixilhos: Dinafex
Paisagismo: Gabriela Ornaghi Arquitetura da Paisagem
Cozinha industrial: Drops Arquitetura
Fotos: Leonardo Finotti e Haruo Mikami


Agradecemos aos autores pela disponibilização do projeto para publicação.

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s