1° lugar – Dal Pian Arquitetos Associados

Memorial Descritivo

Como edifício catalizador e gerador de atividades sociais, acreditamos que o SESC GUARULHOS deva se impor como signo urbano forte e legível, estabelecendo com a envoltória urbana e o parque público contíguo uma relação espacial contínua, direta e fruitiva – mais que apenas construir um edifício, ambicionamos construir um lugar.

O terreno, disposto em ligeiro aclive, concentra grande parte de sua vegetação em faixa próxima ao parque. A implantação do edifício busca respeitar essa geografia, assim como, incorporar parte significativa desse verde às áreas do parque, que em processo de recuperação, poderá ser ampliado e potencializado sua dimensão pública e urbana.

O projeto se estrutura ao entorno de uma grande Praça de Convivência que, receptora dos fluxos externos, concentra, articula e distribui as diversas e complementares atividades do complexo. Espaço arborizado, transparente e permeável às perspectivas externas, essa praça integradora expõe os acontecimentos do edifício e incorpora a paisagem circundante a seus ambientes internos. Um sistema de cobertura composto por grelhas metálicas, vidro, extratores de ar e brises reguláveis de proteção solar, filtra a luz natural e serve de coroamento a esse espaço diáfano de mediação entre o ambiente natural e o construído.

As circulações internas, organizadas de modo simples e preciso por rampas, passarelas e corredores debruçados sobre a Praça de Convivência, expõem o movimento dos usuários e reforçam o caráter extrovertido do edifício.

Pensado dentro das prerrogativas funcionais estabelecidas pelo SESC, o programa assim se distribui:

TERREO (754,50) – na continuidade do passeio público voltam-se para a área de convivência a Central de Atendimento e a Clínica Odontológica (com possibilidade de acesso externo independente). O Espaço Internet, Recreação Infantil e as Oficinas Culturais, abertas à massa verde da praça interna, integram-se a esse espaço lúdico de convivência e lazer. Nesse pavimento, o Ginásio de Esportes coberto e seus sanitários e vestiários de apoio completam as áreas de fruição pública. Com acessos independentes, o Pátio de Carga e Descarga e o Setor Operacional se localizam junto ao estacionamento de veículos. Essa disposição otimiza os fluxos de serviço e proporciona eficiência operacional ao Teatro, Restaurante, Cafeteria e demais áreas do complexo.

TÉRREO SUPERIOR (759,00) – o Teatro, com seu foyer voltado para o vazio da Praça de Convivência, se conforma como um corpo sólido independente – suas dimensões de platéia, palco e bastidores respondem às diversidades de uso requeridas pelo SESC. Sua caixa cênica, que transpassa esse volume sólido, é proposta como um corpo iluminado que destaca e enfatiza a presença do SESC no espaço urbano. Nesse pavimento, favorecidos pela topografia natural do terreno, encontram-se o Complexo Aquático (coberto e descoberto) e as Quadras e Canchas Esportivas externas. O Restaurante, a Cafeteria e o Bar, voltados tanto para a Praça de Convivência, quanto para as piscinas e suas áreas de solário, oferecem aos usuários o deleite das perspectivas visuais variadas.Voltados para a faixa verde preservada junto ao parque público, encontram e o Núcleo Gerencial, a Biblioteca e a Estação de Educação Ambiental. Um segundo acesso ao complexo permite que a Estação de Educação Ambiental e o Ginásio de Esportes tenham funcionamento independente.

SUPERIOR (763,50) – nesse pavimento encontram-se as Salas de Uso Flexível, Ginástica Multifuncional e de Atividades Físicas. Seus corredores de acesso, além de também se abrirem para a Praça de Convivência, percorrem os vazios dos pés-direitos duplos do Ginásio de Esportes e Piscina Coberta. Uma varanda para atividades corporais externas, voltada para Centro Aquático, potencializa os usos dessas salas e sombreia o Restaurante, a Cafeteria e o Bar no pavimento inferior. O Centro de Formação Musical ao longo da faixa verde externa, conclui os espaços desse dinâmico complexo de atividades.

SISTEMAS E QUALIDADE AMBIENTAL

Propõe-se para o edifício um sistema estrutural misto em concreto e aço, com pilares periféricos que não obstruem as zonas de ocupação. Como vedação e revestimento são utilizados vidro, metal e pedra, materiais tradicionais de grande durabilidade e resistência.

Para a cobertura da Praça de Convivência é proposto um fechamento em vidro duplo fixado em perfis metálicos e protegido por um sistema externo de brises em alumínio. Suas lâminas, reguladas mecanicamente com o auxílio de células foto-sensíveis, variam na sua inclinação de acordo com as horas do dia e períodos do ano. Extratores de ar com aberturas de ventilação automática expurgam a massa térmica excedente e completam a eficiência do sistema.

No Ginásio de Esportes e Piscina Coberta a iluminação natural é reforçada pela utilização de extratores de ar envidraçados, protegidos da incidência solar direta por para-sóis em grelha metálica atirantados à estrutura de cobertura.

Ao longo das fachadas norte e oeste do edifício, a consolidada faixa de vegetação de grande porte se comporta como barreira natural de proteção solar.

A constante circulação de ar, a luminosidade natural e a transparência proporcionada a todo o complexo oferecem condições de conforto com consumo mínimo de energia elétrica. O emprego de equipamentos artificiais de iluminação e de condicionamento, utilizados dentro de suas necessidades mínimas e imprescindíveis, reduz os custos e aproxima os limites entre os espaços edificados e o ambiente natural.

___________________________________________________________________________

PARECER DA COMISSÃO JULGADORA

O projeto é “convidativo e acolhedor, permitindo clara identificação dos espaços e funções no seu interior. Na área de convivência o sistema de rampas articula as atividades e integra os fluxos funcionando como um belvedere que favorece a autonomia nas escolhas do público. A proposta atende aos princípios de lazer, cultura e desenvolvimento, indicados no Termo de Referência. A proposta valoriza o paisagismo e a horizontalidade integra-se ao entorno. (…) a configuração dos volumes propostos insinua as atividades desenvolvidas e o diálogo entre materiais opacos e translúcidos lhe confere harmonia.”

___________________________________________________________________________

FICHA TÉCNICA

DAL PIAN ARQUITETOS

Autores:

Lilian Dal Pian, Renato Dal Pian

Colaboradores:

Oliver Scheepmaker, Paula da Cruz Silva, Ricardo Cristoffani, Leonardo Gomes, Tibério Cruz, Filomena Piscoletta

___________________________________________________________________________