rio-2016


Atualizado em 03.10.2009





por Fabiano Sobreira (*)

O IAB-RJ assinou, no dia 07 de outubro, convênio com o Comitê Organizador da Rio 2016 para a realização de um concurso para o projeto de um Marco Olímpico para o Rio de Janeiro. O edital do concurso deverá ser lançado até dezembro e segundo informações do IAB-RJ, que no momento estaria elaborando o edital,  trata-se de um Concurso Internacional. Segundo o prefeito da cidade, “o Marco Olímpico será um ícone que vai marcar para sempre a passagem dos Jogos Olímpicos pela cidade”. O Prefeito ainda ressaltou: “Estamos dando sequência a um conjunto de ações voltadas para 2016. As decisões que nós tomarmos nos próximos cinco ou seis meses, nessa fase inicial do planejamento, serão as decisões mais importantes. Esse momento inicial é fundamental sob o ponto de vista de interesse da cidade, principalmente o legado – ressaltou o prefeito.” (Fonte: IAB-RJ)

A notícia poderia ser comemorada, se ignorássemos o fato de que os projetos para todo o Parque Olímpico (cerca de 25 bilhões em infra-estrutura e instalações esportivas) não foram objetos de concursos públicos de arquitetura, urbanismo ou paisagismo. Pouco se sabe, na verdade, sobre os procedimentos de contratação. O que se sabe (segundo a página oficial do Rio 2016) é que os créditos dos projetos para praticamente todas as instalações do Parque Olímpico são atribuídos à empresa BCMF Arquitetos, contratada por licitação baseada em habilitação técnica.

Já que muitos ainda comemoram a vitória da campanha olímpica do Rio, pouco tem se falado sobre os processos de contratação dos projetos e sobre a qualidade dos investimentos para a vida da cidade  (e do país, que paga a conta) pós 2016. A receita dos empreendedores e gestores públicos, na verdade, tem sido sempre a mesma: Pan 2007, Copa 2014, Olimpíadas 2016 – o mínimo de debates, de transparência ou de participação coletiva, para que haja o mínimo de satisfação a ser dada sobre os investimentos (públicos) bilionários. Enquanto isso, na campanha Madrid 2016, houve concursos de arquitetura para grande parte das instalações esportivas. Não foi desta vez. O jeito, ao que parece, é se contentar com o “prêmio consolação”, que deve ser o Concurso Internacional para o Marco Olímpico Rio 2016, já que os projetos para o Parque Olímpico, aparentemente, já foram definidos (veja imagens abaixo); esperar os  resultados da aplicação dos 25 bilhões de reais previstos para o evento e ficar se perguntando: qual parcela desses recursos será desperdiçada com a eventualidade dispensável e qual será efetivamente  investida nas permanências necessárias, para a cidade e para o país.

______________________________________________________________________________________________

Veja abaixo imagens dos projetos para o Parque Olímpico da Rio 2016 (fonte: www.rio2016.org.br):

Parque Olímpico - BCMF Arquitetos - Fonte: rio2016.org.br

Centro Olímpico Nacional de Treinamento - BCMF Arquitetos

Centro Olímpico Nacional de Treinamento - BCMF Arquitetos - Fonte: rio2016.org.br

Parque Olímpico do Rio - BCMF Arquitetos - Fonte: rio2016.org.br

Parque Olímpico do Rio - BCMF Arquitetos - Fonte: rio2016.org.br

Desportos Aquáticos - BCMF Arquitetos - Fonte: rio2016.org.br

Centro Olímpico de Hockey - BCMF Arquitetos - Fonte: rio2016.org.br

Centro Olímpico de Tênis - BCMF Arquitetos - Fonte: rio2016.org.br

Velódromo Olímpico do Rio - BCMF Arquitetos - Fonte: rio2016.org.br

Vila dos Patrocinadores - BCMF Arquitetos - Fonte: rio2016.org.br

__________________________________________________________________________________

(*) Fabiano Sobreira é arquiteto e urbanista, PhD, editor responsável pelo portal concursosdeprojeto.org .