Concurso Nacional – Teatro Castro Alves – Salvador – BA

Ir para a página oficial do concurso

_________________________________________________________________________________

Concurso Público Nacional de Anteprojetos de Arquitetura e Complementares para a Requalificação e Ampliação do Complexo Teatro Castro Alves

Novo cronograma – atualizado em 16/12/2009

Objeto:

Conf. Edital – Item 1.2:

O OBJETO do Concurso é o Anteprojeto de Arquitetura e Complementares para a Requalificação e Ampliação do Complexo Teatro Castro Alves, que abrange:

1. A REQUALIFICAÇÃO de diversos espaços existentes, que receberão intervenções como modificação de revestimentos e atualizações técnicas e/ou equipamentos; os espaços requalificados serão repensados, preservando ou não o layout atual, porém sempre respeitando ao máximo os limites físicos espaciais preexistentes.

2. A REDISTRIBUIÇÃO de outros espaços preexistentes, cujos usos atuais deverão ser redistribuídos e/ou redimensionados, mudando ou não sua localização atual, de acordo com as necessidades indicadas.

3. A AMPLIAÇÃO da estrutura física atual do Complexo Teatro Castro Alves, através da criação de novos espaços que abrigarão novos usos e usos atualmente abrigados no edifício existente.

Área de construção:

A área construída máxima do projeto deve ser de até 25.667,90 m2 (vinte e cinco mil, seiscentos e sessenta e sete vírgula noventa metros quadrados), sendo 17.451,90 m2 (dezessete mil, quatrocentos e cinqüenta e um vírgula noventa metros quadrados) de áreas existentes a serem requalificadas ou redistribuídas e 8.216,00 m2 (oito mil, duzentos e dezesseis metros quadrados) de áreas a serem construídas.

Local: Salvador – Bahia

Tipo de Concurso: aberto, nacional, de anteprojetos, em uma etapa.

Promoção: Fundação Cultural do Estado da Bahia – FUNCEB

Organização: Instituto de Arquitetos do Brasil – Departamento da Bahia – IAB-BA

Quem pode participar:

Arquitetos, registrados no CREA, residentes e domiciliados no Brasil.

Novo Cronograma (atualizado em 16/12/2009):

07/01/2010 Prazo para Envio das Propostas

12/01/2010 a 16/01/2010 Julgamento das Propostas

18/01/2010 Divulgação do Resultado

19/01/2010 a 25/01/2010 Prazo para Interposição de Recursos

26/01/2010 a 02/02/2010 Julgamento dos Recursos

03/02/2010 Homologação do Resultado

05/02/2010 Solenidade de Premiação

05/02/2010 a 07/03/2010 Exposição dos Trabalhos Premiados

Prêmios:

Primeiro classificado: R$ 60.000,00 (sessenta mil reais)

Segundo classificado: R$ 30.000,00 (trinta mil reais)

Terceiro classificado: R$ 20.000,00 (vinte mil reais)

Quarto classificado: R$ 15.000,00 (quinze mil reais)

Quinto classificado: R$ 10.000,00 (dez mil reais)

Para mais informações acesse aqui a página oficial do concurso.

_________________________________________________________________________________

Os interessados devem consultar diretamente a coordenação do concurso para eventuais atualizações e alterações relativas ao concurso anunciado.

11 respostas em “Concurso Nacional – Teatro Castro Alves – Salvador – BA

  1. Arq. Julio e amigos, estou participando desse concurso, no edital pedem dados muito minuciosos, levei essas questões do nosso forum para os organizadores, vejam abaixo:

    “Os prazos favorecem os grandes escritórios, e distanciam as
    chances de jovens arquitetos vejam as considerações abaixo comentadas nos
    principais fóruns de arquitetura do país.

    “1. Prazo para desenvolvimento do Anteprojeto de Arquitetura
    Entre a data do lançamento do concurso (3-11-2009) e a entrega do projeto
    (21-12-2009) restará um mês e dezessete dias corridos. Como a data da
    entrega é uma segunda-feira, considere os dias para plotagem e envio do
    material. Considere também o tempo para a confirmação da inscrição e o
    “posterior” recebimento de todas as informações referentes ao Programa de
    Necessidades.
    Tal situação revela uma falta de reconhecimento com relação ao papel e a
    atividade do arquiteto. O projeto para um Teatro de tal relevância social e
    arquitetônica mereceria outra consideração.
    Esta ampliação e reforma do TCA irá durar talvez mais 40 anos, porque a
    concepção do projeto arquitetônico tem que ser desenvolvida em pouco mais
    de um mês?
    2. Termo de Referencia (Informações programáticas)
    Entendo que o “Termo de Referência” dos concursos deve ser aberto,
    independentemente da realização da inscrição. A decisão de participar, ou
    não, de qualquer concurso está associada à compreensão e dimensionamento
    do problema. O profissional arquiteto deve sentir-se convidado a participar
    do concurso, para isso, necessita conhecer todas as “bases” antes de tomar
    sua decisão.
    3. Apresentação dos Trabalhos
    A apresentação dos trabalhos solicitada nos concursos realizados no Brasil
    esta avançando dentro de uma proporção inversa ao desenvolvimento
    tecnológico, ou, aos atuais meios de comunicação. Internacionalmente já uma
    prática comum o envio de trabalhos em formato digital, via internet, pelo
    menos nos casos dos concursos realizados em duas fases. Normalmente na
    segunda fase exige-se o envio das pranchas, contudo, nesta etapa o
    profissional recebe uma remuneração que cobre tais custos.
    4. Número de pranchas
    O número de pranchas nos concursos realizados no Brasil esta cada vez maior.
    No caso do TCA, oito pranchas A1. Considero totalmente desnecessário para a
    avaliação de uma idéia. Não se deve confundir a apresentação de uma idéia
    com o desenvolvimento da mesma.
    No caso especifico do concurso do TCA a visita ao teatro ocorrerá no dia
    02/12/2009, ou seja, dezenove dias antes da entrega do trabalho. A visita
    fornecerá uma série de dados relevantes para o desenvolvimento do projeto,
    sendo assim, deveria ser organizada com muito mais antecedência, supondo
    que esta é uma iniciativa dos organizadores do concurso.”

    Resposta 17 – Este canal de comunicação está reservado às consultas e
    esclarecimentos relativos às bases do concurso, e não à emissão de opiniões
    pessoais como, por exemplo, a afirmação injustificada de que “os prazos [deste concurso] favorecem os grandes escritórios”. Além disso, o(a) autor(a)
    da “pergunta” apresenta informações equivocadas. Iremos nos limitar a
    evidenciá-las e esclarecê-las.
    Com relação aos prazos para postagem e recebimento das propostas:
    conforme definido no item 3.2 do regulamento, o prazo para postagem
    (envio) das propostas é 21 de dezembro de 2009. Esta é a data limite para
    envio das propostas pelos participantes, e não para recebimento das mesmas
    pela coordenação do concurso, cujo prazo, segundo o mesmo item do
    Regulamento, se encerra às 18 horas do dia 28 de dezembro de 2009.
    Com relação à quantidade de pranchas exigidas: como se pode depreender
    da leitura do Regulamento e da versão parcial do Termo de Referência
    disponibilizados na área pública do site, o concurso em questão envolve uma
    série de intervenções no Complexo Teatro Castro Alves que vão da
    requalificação de diversos espaços existentes (sala principal, foyer, terraço,
    concha acústica, vão livre, dentre outros), com maior ou menor grau de
    intervenção, até a construção de novo(s) volume(s) anexo(s) ao edifício
    preexistente, passando pela criação de uma Sala de Concertos no piso (-2).
    Devido a essa característica, a organização do Concurso considerou que oito
    pranchas corresponderiam ao número mínimo para representar de forma
    eficiente as soluções propostas para cada uma destas demandas. Em momento
    algum, é solicitado aos participantes que desenvolvam suas idéias para além
    do necessário para a sua compreensão geral, como se pode depreender das
    escalas indicadas para as diversas pranchas (1:500 e 1:200).
    Com relação à data da visita ao TCA: tendo em vista que o concurso foi
    lançado no dia 03 de novembro e que o prazo estabelecido para o envio das
    propostas se encerra no dia 21 de dezembro, a visita monitorada foi
    programada para o dia 02 de dezembro visando garantir tempo hábil para a
    divulgação do concurso em todo o território nacional e permitir assim que a
    maior quantidade de participantes pudesse se programar para participar da
    mesma. É importante ressaltar que, conforme informamos em notícia
    publicada no site do concurso no dia 19 de novembro, o Complexo TCA está
    aberto à visitação em outras datas e horários, através de agendamento prévio
    por telefone, dentro da programação regular de visitas guiadas abertas ao
    público, e que os participantes puderam visitar as instalações do TCA antes da
    visita monitorada, o que muitos fizeram. Logo, a todos os participantes foi
    dada a oportunidade de visitar as instalações do Complexo Teatro Castro Alves
    antes da data da visita monitorada, da mesma forma que poderão fazê-lo após
    essa data.

  2. O concurso é de uma complexidade incoerente com os prazos propostos. São praticamente 4 projetos em 1, (que de certa forma justificam as 8 pranchas A1), pois temos a reforma do TCA, proposta de uma nova sala de concertos interna ao Teatro, reforma da Concha Acústica, proposta de um novo edifício, “n” vagas de estacionamento, novo agenciamento externo… ufa! Isso tudo em tão pouco tempo. Uma pena, adoraria participar, o TCA é um prédio belíssimo que marcou minha visita a Salvador!

  3. Há textos analíticos que nos emocionam. A análise do arquiteto Julio Cezar é brilhante e resumem, com brilhantismo, a minha posição com relação aos nossos consursos. Assino embaixo e concordo com tudo!

  4. Reconheço a prática do concurso como uma iniciativa democrática, momento em que todos têm oportunidades, principalmente os jovens arquitetos, basta observarmos alguns resultados recentes no Brasil e, em alguns casos, no exterior

    Contudo, reconheço também que a prática dos concursos no Brasil merece uma profunda revisão, a qual abrangeria, por exemplo: custo dos projetos (valores contratuais), organização de concursos em etapas (em alguns casos – dependendo da complexidade do Programa de Necessidades), formato de apresentação do projeto (quantidade e dimensão de pranchas), modo de envio dos projetos (digital), divulgação das informações programáticas sem a necessidade de realização da inscrição e, principalmente, revisão dos prazos destinados para o desenvolvimento dos projetos.

    O “Concurso…do Complexo Teatro Castro Alves”, infelizmente, revela tal necessidade, a qual pode ser evidenciada a partir dos seguintes pontos:

    1. Prazo para desenvolvimento do Anteprojeto de Arquitetura

    Entre a data do lançamento do concurso (3-11-2009) e a entrega do projeto (21-12-2009) restará um mês e dezessete dias corridos. Como a data da entrega é uma segunda-feira, considere os dias para plotagem e envio do material. Considere também o tempo para a confirmação da inscrição e o “posterior” recebimento de todas as informações referentes ao Programa de Necessidades.

    Tal situação revela uma falta de reconhecimento com relação ao papel e a atividade do arquiteto. O projeto para um Teatro de tal relevância social e arquitetônica mereceria outra consideração.
    Esta ampliação e reforma do TCA irá durar talvez mais 40 anos, porque a concepção do projeto arquitetônico tem que ser desenvolvida em pouco mais de um mês?

    2. Termo de Referencia (Informações programáticas)

    Entendo que o “Termo de Referência” dos concursos deve ser aberto, independentemente da realização da inscrição. A decisão de participar, ou não, de qualquer concurso está associada à compreensão e dimensionamento do problema. O profissional arquiteto deve sentir-se convidado a participar do concurso, para isso, necessita conhecer todas as “bases” antes de tomar sua decisão.

    3. Apresentação dos Trabalhos

    A apresentação dos trabalhos solicitada nos concursos realizados no Brasil esta avançando dentro de uma proporção inversa ao desenvolvimento tecnológico, ou, aos atuais meios de comunicação. Internacionalmente já uma prática comum o envio de trabalhos em formato digital, via internet, pelo menos nos casos dos concursos realizados em duas fases. Normalmente na segunda fase exige-se o envio das pranchas, contudo, nesta etapa o profissional recebe uma remuneração que cobre tais custos.

    4. Número de pranchas

    O número de pranchas nos concursos realizados no Brasil esta cada vez maior. No caso do TCA, oito pranchas A1. Considero totalmente desnecessário para a avaliação de uma idéia. Não se deve confundir a apresentação de uma idéia com o desenvolvimento da mesma.

    No caso especifico do concurso do TCA a visita ao teatro ocorrerá no dia 02/12/2009, ou seja, dezenove dias antes da entrega do trabalho. A visita fornecerá uma série de dados relevantes para o desenvolvimento do projeto, sendo assim, deveria ser organizada com muito mais antecedência, supondo que esta é uma iniciativa dos organizadores do concurso.

    Existem ainda varias questões que poderiam ser discutidas, mas este importante canal impõe-nos certas limitações (como a extensão do texto, por exemplo). Contudo expresso aqui minhas considerações, esperando que num futuro próximo as “regras” dos concursos de arquitetura e urbanismo no Brasil evoluam em prol da participação dos arquitetos dentro de um quadro profissional mais respeitoso

  5. O contrato não tem valor especificado. Estão dizendo que serão seguidos os padroes indicados pelo IAB. E dele será abatido o valor da premiação do primeiro colocado.

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s