Concurso Nacional de Arquitetura – Marco de Entrada de Brusque

1° lugar

Equipe: Francisco Refosco Nunes, Mariana Arruda e Sara Moretti (Blumenau/SC).

_____________________________________________________________________________________


Resumo – Memorial Descritivo

O projeto dos marcos de entrada de Brusque, nas rodovias Antônio Heil (SC 486) e Ivo Silveira (SC 411) tem como objetivo criar uma referência e atrativo no acesso à cidade. Pensando nisso, foi criado um desenho único para ambas entradas, composto por duas estruturas principais, que representam de forma abstrata algumas características da cidade e a importância dela no desenvolvimento da região e do país.

A primeira estrutura importante são duas torres de mármore e granito que emergem do piso da praça de maneira sólida, forte e imponente, representando a solidez da sociedade brusquense e da sua indústria têxtil.

A segunda estrutura é uma grande fita vermelha de concreto, que também emerge do piso com um desenho retilíneo – mas desta vez de forma horizontal – passando por entre as duas torres, quando dá início a algumas ondulações, simulando uma fita em movimento – ao vento. Esta fita de concreto representa a liberdade, a transformação e crescimento da cidade; assim como o fio de algodão, que se tranformando em tecido, gerou grande desenvolvimento para a cidade, a qual acabou se tornando um dos principais pólos do Turismo de Compras na área têxtil do Estado.

E por último, fazendo parte do cenário da praça, haverá um espaço que cria uma atmosfera de contemplação do marco – uma praça seca contornada por um paisagismo colorido que garante a permeamilidade tanto física quanto visual. Paisagismo este, que terá as cores que fazem parte da história e cultura de Brusque, presente desde a bandeira da cidade à programação visual atual. O verde, o amarelo e o vermelho, recheiam os canteiros de flores, de onde parte um extenso banco linear, que contorna toda a praça para visualização do marco, boas conversas ou um simples descanso à sombra de uma árvore.

Como parâmetro relativo a sustentabilidade foram utilizadas algumas diretrizes – como o uso de materiais regionais e luminárias com captação de energia solar, reuso da água da chuva para irrigação, piso permeável (paver) e reuso de material já adquirido pela prefeitura, sendo utilizado na sua totalidade e com poucas intervenções.

Então de maneira geral, será a solidez da economia e da sociedade brusquense, assim como a liberdade e a forma orgânica dos fios de algodão, que marcaram sua história, é que estarão estampados na entrada da cidade como protagonistas desta obra, juntamente com o colorido das flores e morros, mostrando com isso o cuidado com a cidade e alegria de seu povo; sendo estes portanto, os fios mais nobres deste tecido multi-étnico que é Brusque.

_____________________________________________________________________________________

Fonte: IAB-SC – Núcleo Blumenau iabblumenau.blogspot.com